25 de June de 2018

Preparação digital do Brasil ainda é básica, diz estudo Cisco

A fabricante norte-americana Cisco divulgou hoje, 18,  o Cisco Digital Readiness Index, estudo desenvolvido em conjunto com o Gartner Research, que mediu a preparação digital de 118 países, sendo 19 da América Latina, a partir de componentes como insfraestrutura tecnológica, capital humano, necessidades básicas e investimento governamental e empresarial.

Em geral, os países da América Latina estão em um estágio entre a preparação digital básica, denominada Ativar, e intermediária, chamada Acelerar. O Brasil está na 10ª colocação entre os países pesquisados na América Latina, no estágio Acelerar, que inclui os países que devem continuar investindo no desenvolvimento do capital humano para aumentar o ritmo e o alcance da tecnologia digital dentro e fora de suas fronteiras.

Segundo o estudo, a média da América Latina foi de 11,78. A média global de preparação digital é 11,96. As pontuações globais de preparação digital para os países no estágio mais alto (Amplificar) tiveram uma média de 16,83. Aqueles no estágio intermediário de preparação digital (Acelerar) tiveram uma média de 12,49, e aqueles no estágio inferior de preparação digital (Ativar) tiveram uma média de 7,91.

Neste cenário, o Brasil obteve uma média geral 11,80. Isso coloca o país 2,7 pontos abaixo da média que o classificaria na categoria Amplificar. Quando analisados os resultados de componentes específicos, o Brasil obteve resultados variados. O país tem a melhor colocação da América Latina em Investimento Governamental e Empresarial e está bem colocado na Adoção de Tecnologia e Infraestrutura Tecnológica, sendo 7º e 5º na América Latina, respectivamente. O país ocupa a oitava posição na região em Empreendedorismo, mas apenas o 17º lugar em Facilidade para se fazer negócios. Com relação ao Capital Humano,o país é o 13º na região.

“A transformação digital vai ser fundamental para inclusão social no Brasil. Saber analisar os gaps e oportunidades de melhorias é crítico para que os governos possam concentrar os esforços para acelerar essa transformação. Este estudo pretende apoiar os governos e recomendar quais as áreas prioritárias para uma economia digital inclusiva”, afirma Laercio Albuquerque, presidente da Cisco Brasil.  (assessoria de imprensa). 

Article source: http://www.telesintese.com.br/preparacao-digital-do-brasil-ainda-e-basica-diz-estudo-cisco/

Mercado Bitcoin investe em infraestrutura de TI para aprimorar …

Depois de ter um crescimento exponencial acima do esperado no ano passado, o Mercado Bitcoin, corretora de moedas digitais da América Latina, vem realizando uma série de investimentos para continuar sua expansão, que em 2018 deve ser dez vezes maior em volume de transações em comparação a 2017.

Na área de infraestrutura de TI, a empresa investiu em um parque tecnológico robusto Cisco e Cisco Meraki para garantir a segurança e disponibilidade de rede em seu novo escritório de 1,5 mil metros quadrados com capacidade para 220 colaboradores na Zona Sul de São Paulo. O projeto, realizado em um mês, foi da integradora 5F Soluções em TI e faz parte de um plano de investimento do Mercado Bitcoin em Tecnologia e Segurança da Informação estimado em R$ 10 milhões.

O Mercado Bitcoin alcançou recentemente a marca de 1 milhão de clientes cadastrados e teve mais de R$ 4,5 bilhões negociados na plataforma em 2017, envolvendo três moedas digitais: Bitcoin, Litecoin e Bitcoin Cash. Para 2018, a corretora tem a expectativa de atingir 2,5 milhões de clientes e R$ 50 bilhões em negociações.

“Além da segurança absoluta como principal requisito, precisávamos de mobilidade extrema em uma rede de alta densidade dentro do nosso espaço, associado a alta disponibilidade para comportar nossa operação e atendimento. Buscamos referências no mercado e assim chegamos à 5F Soluções em TI, que já durante a fase de design se mostrou o parceiro perfeito como canal de aquisição da tecnologia Cisco Meraki e implementação”, lembra Galeno Garbe, CSO do Mercado Bitcoin.

Solução

A 5F Soluções em TI fez toda a estruturação do parque tecnológico dos ativos de rede e de mobilidade, incluindo instalação e treinamento hands on. “Também realizamos nosso serviço de site survey wireless para o projeto Wi-fi. Utilizamos produtos Cisco na estruturação dos ativos de rede e Cisco Meraki para mobilidade (Wi-fi)”, conta Sylvio Herbst, diretor comercial da integradora.

O portfólio da Cisco Meraki é gerenciado de forma centralizada pela nuvem. Sua arquitetura apresenta recursos abrangentes e fáceis de usar, que ajudam a resolver problemas e reduzir custos operacionais.

Resultados

“Segurança e alta disponibilidade da nossa rede. Sem dúvida esse foi o maior ganho com este projeto. Subimos a barra e isso foi refletido para todas as áreas. Ganhamos visibilidade completa dos dispositivos conectados à nossa rede, além de poder observar qualquer anormalidade em uma dashboard simples e funcional (Meraki). Pudemos também disponibilizar, de forma segura, uma conexão autenticada segregada para atender nossos visitantes e colaboradores, de forma a não interferir na rede das operações do Mercado Bitcoin”, comemora Garbe.

Segundo Herbst, o trabalho foi realizado com sucesso e antes do prazo previsto. “Com a solução, cumprimos mais dois requisitos do projeto: inovar, trazendo a melhor tecnologia disponível no mercado para os colaboradores; e economizar na infraestrutura de cabos, o que gerou mobilidade a todos internamente, como levar os notebooks para onde precisar, inclusive reuniões”, finaliza.

Article source: https://www.itforum365.com.br/ti-negocios/mercado-bitcoin-investe-em-infraestrutura-de-ti-para-aprimorar-seguranca/

Reducing the risk of dementia through lifestyle changes


Reducing the risk of dementia through lifestyle changes

Female older adult exercising with an exercise bike at the Terraces of Baycrest. Credit: Provided by Baycrest

There is no treatment yet for dementia; but one day, a family doctor could prescribe a specific diet, an exercise regime, music or language lessons, or documentary discussion groups as treatments to ward off the disease.

Canadian researchers are recruiting across Toronto and Montreal to explore the benefits of different types of brain training and lifestyle interventions for two .

Baycrest researchers are playing a leading role in these studies, which are part of the work being done by the Canadian Consortium on Neurodegeneration in Aging (CCNA), a nation-wide initiative bringing together over 400 clinicians and researchers throughout Canada to accelerate progress in age-related neurodegenerative diseases.

“As researchers seek to better understand like dementia and develop appropriate treatments, more and more evidence suggests that changes to a person’s lifestyle could reduce their risk of developing the disorder,” says Dr. Nicole Anderson, senior scientist at Baycrest’s Rotman Research Institute (RRI), lead Baycrest investigator on the cognitive training and engaging leisure clinical trial, and clinical trial team leader on a nutrition, exercise and lifestyle intervention.

Keeping the brain challenged to stay healthy

Numerous studies have shown that older adults who have pursued higher education and who engage in mentally stimulating careers and hobbies possess a lower risk of cognitive decline and dementia.

This upcoming CCNA trial will be the first study to compare the brain health benefits of and its implementation in three engaging types of leisure activities, music and language lessons, and documentary discussion groups.

“The cognitive stimulation individuals receive throughout their lifetime builds up the brain’s resilience against the detrimental effects of dementia-related neuropathology,” says Dr. Anderson, who is also an associate professor of psychology and psychiatry at the University of Toronto. “In the absence of treatment, we need to think of ways to protect our brain health earlier and build up this protective factor, known as cognitive reserve, as a potential way to prevent Alzheimer’s disease.”

Your brain is what you eat (and do)

Exercise not only reduces a person’s dementia risk, there is evidence that it can also improve a person’s memory and thinking skills and even reverse some of the damage done to the brain during aging or from brain disorders.

“Our couch potato lifestyles are unhealthy for our brains,” says Dr. Carol Greenwood, nutrition and brain health expert and senior scientist at the RRI. “Physical activity not only helps with the growth of new brain cells, it also helps those cells become integrated into a person’s brain networks, which are then used to complete everyday tasks.”

Meanwhile, healthy eating has been shown to help people retain cognitive function and reduce their dementia risk, adds Dr. Greenwood, who is leading the clinical trial exploring the effectiveness of a combined diet and exercise intervention. “People could reap greater brain health benefits when these lifestyle changes are paired together, compared to each lifestyle factor on its own,” says Dr. Greenwood.

Researchers are seeking participants between the ages of 60 to 85 who have concerns about declining memory or thinking skills. Research participants would need to be available to partake in interventions at specific hospital sites, including Baycrest, and willing to undergo a complete medical assessment, including imaging.


Explore further:
Baycrest launches study combining music and brain stimulation to improve memory

Article source: https://medicalxpress.com/news/2018-06-dementia-lifestyle.html

TecFácil: Cisco Live 2018 Segurança Criptomining e Privacidade de informação

Relato dois pontos que capturaram a minha atenção nas conversas sobre segurança, com Craig Williams e falamos sobre a ameaça crescente que a captura dos computadores para mineração de critpomoedas. Também falei sobre privacidade da informação com Michelle Deneddy, fragilidades, desafios e uma dica simples, elementar até para ajudar a minimizar o risco de exposição indesejada.

Gravado dia 11/06/2018 no Cisco Live 2018 em Orlando


TECFÁCIL #004 Cisco Live 2018 Segurança Criptomining e Privacidade de informação

Article source: https://www.itforum365.com.br/categoria-colunas/xando-avaliacoes-e-opinioes/tecfacil-004-cisco/

Cisco Live 2018 Digital Network Architecture (DNA) cidade conectada Las Vegas

TECFÁCIL #005
Alguns dos destaques do segundo dia, a importância estratégica do DEVNET, exemplo prático do uso da tecnologia DNA e o caso real da aplicação da rede inteligente na cidade de Las Vegas onde tráfego, transporte público, qualidade do ar sçao monitorados e tem intervenção em tempo real para lidar com as situações.

Gravado dia 12/06/2018 no Cisco Live de Orlando


TECFÁCIL #005 Cisco Live 2018 Digital Network Architecture (DNA) cidade conectada Las Vegas

 

Article source: https://www.itforum365.com.br/categoria-colunas/xando-avaliacoes-e-opinioes/tecfacil-005-cisco/

TecFácil: Cisco Live 2018 Orlando Primeiras impressões e informações

Durante a abertura do evento Cisco Live 2018 realizado em Orlando a apresentação incial trouxe muitas informações e resgatou fatos importantes do ecossistema Cisco. Algunas novidades ainda estão sob embargo, mas falaremos delas depois.

Gravado dia 11/06/2018 no Cisco Live 2018 Orlando EUA 

 

TECFÁCIL #003 – Cisco Live 2018 Orlando Primeiras impressões e informações

 

Article source: https://www.itforum365.com.br/categoria-colunas/xando-avaliacoes-e-opinioes/tecfacil-003-cisco/

Mineradora abre diversas oportunidades de trabalho em Minas Gerais

– Ensino médio Completo

– Preparar frentes de trabalho, abater chocos, bem como efetuar serviços de pedreiro, encanamento, tubulações e lavagem de equipamentos, fragmentação e passagem de rocha na grelha, manutenções diversas e auxiliar nas demais operações da Mina.

Técnico de Instrumentação

– Possuir formação técnica completa em Eletrônica, Telecomunicações, Rede de dados ou Instrumentação;

– Possuir CREA;

– Experiência comprovada em Redes Ethernet TCP/IP, Wireless, Redes industriais, Servidores, Integração de sistemas; Banco de dados; Análise de sistemas e levantamento de requisitos; Melhores práticas de mercado;

– Desejável conhecimento e certificação CISCO CCNA e Inglês em nível intermediário;

– Experiência em administração de redes, gestão de projetos e aplicação de políticas de segurança da informação.

Blaster

– Efetuar o transporte e preparação de equipamentos, materiais e explosivos nas frentes de trabalho, para execução de detonações em áreas determinadas realizando o carregamento de fogo e responsabilizando-se pela segurança nas áreas próximas à detonação.

– Ensino médio completo;
– Possuir CNH B.

Operador de Equipamentos Leves

– Ensino médio completo;
– Possuir CNH B;

– Experiência em operação de  equipamentos leves como perfuratriz pneumática para abertura de raises, e perfuração para telamento e instalação de cavilhas

– Serviços de apoio (pedreiro, encanamento, tubulações e lavagem de equipamentos) nas operações de produção no interior da Mina descarregando material

– Efetuar manutenções diversas e efetuar o transporte de equipamentos, materiais, pessoas e explosivos.

Operador de Equipamento Pesado I

– Ensino Médio Completo;
– CNH B;

– Desejável experiência em Equipamentos de de mina Subterrânea: Operar equipamento Caminhão fora de estrada, executar tarefas de transporte de minério, estéril e materiais diversos no interior e na superfície da Mina.

Supervisor de Produção de Mineração

– Possuir formação técnica completa (Exigido CREA);

– Possuir experiência comprovada com gestão de equipes de Produção;

– Conhecimento em Lavra e/ou desenvolvimento de Mina Subterrânea;

– Supervisão das atividades do turno, a fim de organizar as mesmas para que os turnos seguintes tenham mais facilidades para dar continuidade ao processo produtivo.

Supervisor de Manutenção

– Possuir formação técnica completa (Exigido CREA);

– Experiência  com gestão de equipes de manutenção de equipamentos de mina;

– Orientar tecnicamente a equipe, podendo também executar as manutenções dos equipamentos HME e dos veículos leves da mina e superfície, assim como inspeções programadas, diagnóstico de anomalias e geração de informações ao planejamento da manutenção.

Como se candidatar nas vagas da mineradora  AngloGold Ashanti

Os interessados em algumas das vagas disponíveis na mineradora AngloGold devem cadastrar currículo no painel de vagas na mineradora no Vagas.com. Clique aqui para se candidatar.

Leia também: FHEMIG anuncia novo processo seletivo

Article source: https://maisminas.org/vagas-mineradora-mg/

Cisco adota GDPR, mas ainda espera efetividade das novas políticas

Mesmo sendo uma empresa norte-americana, a Cisco já adotava a nova regulação de privacidade de dados da União Europeia, a General Data Protection Regulation (GDPR), antes mesmo de ela entrar em vigor em maio deste ano. De acordo com a SVP da unidade de business e marketing de produtos da companhia, Christine Heckart, esse regramento é implantado globalmente. “Não era muito diferente do que já estávamos fazendo. Uma vez que tenhamos política, se tiver uma razão localmente, aplicamos”, declarou ela a este noticiário.

Há uma razão para isso. A própria Cisco coleta algumas informações e as deixa disponíveis aos consumidores, uma política aplicada a todos os produtos. “Deixamos clientes verem e coletarem dados na rede, mas também se beneficiarem globalmente em ameaças de vetores, e deixarem garantido que é anonimizado – se a gente ver uma assinatura de malware, eles se beneficiam.”

Heckart considera que o GDPR é “uma coisa boa” para que governos e a população em geral passem a prestar mais atenção aos dados coletados. “Eu enalteço a União Europeia por colocar isso para cobrir todos os cidadãos, porque basicamente pavimenta o caminho para o mundo tudo”, declara.

Efetividade

Entretanto, ela chama atenção para a possibilidade de relativização do assunto devido ao excesso de companhias detalhando as políticas de privacidade. No entendimento da executiva, “ninguém parece se importar ou mudar o comportamento” – justamente porque não leem as diretrizes e acabam aceitando de qualquer forma, assim perdendo a utilidade da regulação. “Se for esse o caso, as leis não vão mudar muito [a situação], porque tudo o que você precisa é dizer o que está fazendo. Se for aberto, mas não mudar o comportamento, tem de pensar se essa é a abordagem certa. Mas não sabemos ainda.”

Pelo mesmo motivo, Christine Heckart diz não saber se haverá mais ou menos oportunidades para as empresas por causa do GDPR. Porém, é enfática ao ressaltar que o modelo de negócios baseado em dados é inegavelmente um potencial de receitas, uma vez que implantar conectividade em um objeto à Internet das Coisas muda a valorização (e o propósito) de forma mais drástica. “Quanto mais valor, mais usuários, e criam ainda mais valor. Com os dados, os desenvolvedores podem criar aplicações que ninguém nem pensava antes. Não seria possível sem esse tipo de informação”, explica.

Em contrapartida, a IoT cria efeitos negativos, com maior exposição a hackers, mas há possibilidade de mitigar o problema. “Mesmo com tráfego criptografado, conseguimos ver a assinatura do malware [recurso chamado stealth watch]“, diz.

Multitarefa

Diante de todas as mudanças que deverão acontecer no mercado, há o consenso de que é preciso se modernizar. Na visão de Heckart, os setores de telecomunicações e de provedor de serviços “precisam vestir dois chapéus ao mesmo tempo”, uma vez que promovem a transformação digital de outras indústrias e companhias, enquanto passam elas mesmas pelas mudanças da digitalização. “Temos de passar pela transformação juntos. Por isso que você vê a gente migrando para software e SaaS, mesmo o modo como entregamos rede, as atualizações são em tempo real, para promover KPIs, analisa.

* O jornalista viajou a Orlando a convite da Cisco.

Article source: http://teletime.com.br/15/06/2018/cisco-adota-gdpr-mas-ainda-espera-efetividade-das-novas-politicas/

Cisco abre DNA Center para desenvolvedores – COMPUTERWORLD

A Cisco fez uma jogada ousada esta semana para ampliar o uso de seu DNA Center, abrindo o sistema de controle de redes, automação e análise de rede para a comunidade de desenvolvedores que desejam dar o próximo passo na programação da rede.

Introduzido no ano passado como o centro de sua iniciativa de rede baseada em intenção, o Cisco DNA Center apresenta recursos de automação, configuração de garantia, provisionamento e segmentação baseada em políticas para redes corporativas.

David Goeckeler, vice-presidente executivo e gerente geral de rede e segurança da Cisco, disse ao público do Cisco Live, evento da companhia realizado nesta semana nos EUA, que os novos recursos de plataforma aberta da DNA Center significam que todas as suas poderosas ferramentas de automação e garantia estão disponíveis para parceiros e clientes. Novos aplicativos podem usar a rede programável para melhor desempenho, segurança e insights de negócios, disse ele.

Sob o programa DNA Center, a empresa abre:

- Mais de 100 APIs que permitem que aplicativos de TI e de negócios comuniquem constantemente suas necessidades de desempenho, política e conformidade à rede.

- Adaptadores e conectores para integração com outros sistemas de TI e de rede (por exemplo, ITSM e IPAM) para que as equipes possam agilizar os fluxos de trabalho de TI.

- Adaptadores e conectores para integração com outros domínios de infraestrutura (por exemplo data center, nuvem e segurança) para que os administradores possam aplicar e garantir a intenção de qualquer lugar para qualquer lugar.

- Um SDK para permitir o suporte de dispositivos de fornecedores de rede de terceiros, para que os clientes/desenvolvedores possam trazer a rede baseada em intenção para ambientes de vários fornecedores.

Tal empreendimento da comunidade requer que muitas parcerias, desenvolvedores e outros integradores de terceiros sejam bem-sucedidos. Nesse sentido, a Cisco disse que tinha 15 parcerias, entre elas Accenture, Dimension Data, IBM,Microfocus, ServiceNow eWorld Wide Technology, trabalhando em aplicativos.

Crescimento da comunidade de DevOps

No lado de DevOps, a Cisco disse nesta semana que sua própria comunidade DevNet agora tem 500 mil membros registrados, muitos buscando atingir a programação de rede.

“Nossa comunidade de 500 mil pessoas está escrevendo códigos que podem ser aproveitados e compartilhados por outras pessoas. A DevNet está criando um ecossistema de inovação de rede que será o centro da próxima geração de aplicativos e da próxima geração de negócios ”, disse Susie Wee, CTO da Cisco DevNet.

Mais Lidas

Software é fundamental para o trabalho em rede

O CIO Jerry Sheehan, da Universidade Estadual de Montana, falando em um painel de usuários da feira, disse que quando a universidade precisava de uma atualização de rede, eles sabiam que uma decisão apenas de hardware não seria flexível o suficiente.

A universidade tornou-se uma das primeiras a adotar o Cisco DNA Center e implantou uma arquitetura baseada em software com o hardware da Cisco embaixo. Até agora, o sistema ajudou a reduzir a complexidade e proporcionou mais flexibilidade para os pesquisadores da escola, disse Sheehan.

Analistas disseram que abrir o DNA Center para o mundo é potencialmente uma boa jogada e poderia ajudar os clientes a criar mais facilmente aplicativos estratégicos, mas será preciso um grande esforço para torná-lo um empreendimento de sucesso.

“O DNA Center é a plataforma de gerenciamento estratégico da Cisco daqui para frente e acreditamos que ele consumirá a funcionalidade atualmente distribuída em vários produtos. Isso deve ajudar, já que os clientes da Cisco citaram várias ferramentas de gerenciamento como um desafio contínuo ”, disse Andrew Lerner, vice-presidente de pesquisa do Gartner.

Article source: http://computerworld.com.br/cisco-abre-dna-center-para-desenvolvedores

Mercado Bitcoin renova infra com 5F

A corredora de moedas digitais Mercado Bitcoin modernizou sua infraestrutura de TI com um parque tecnológico composto por soluções Cisco e Cisco Meraki. O projeto, realizado em um mês pela integradora 5F Soluções, faz parte de um plano de investimento da empresa em tecnologia e segurança estimado em R$ 10 milhões.

Galeno Garbe, CSO do Mercado Bitcoin. Foto: Divulgação.

  • Febraban vai de hyperledger Fabric
  • Lenovo: data center tem área separada
  • Conheça a TI do C6Bank

O Mercado Bitcoin alcançou recentemente a marca de 1 milhão de clientes cadastrados e teve mais de R$ 4,5 bilhões negociados na plataforma em 2017, envolvendo três moedas digitais: Bitcoin, Litecoin e Bitcoin Cash. 

Para 2018, a corretora tem a expectativa de atingir 2,5 milhões de clientes e R$ 50 bilhões em negociações. 

“Além da segurança absoluta como principal requisito, precisávamos de mobilidade extrema em uma rede de alta densidade dentro do nosso espaço, associado a  alta disponibilidade para comportar nossa operação e atendimento. Buscamos referências no mercado e assim chegamos à 5F Soluções em TI, que já durante a fase de design se mostrou o parceiro perfeito como canal de aquisição da tecnologia Cisco Meraki e implementação”, lembra Galeno Garbe, CSO do Mercado Bitcoin.

A 5F Soluções em TI fez toda a estruturação do parque tecnológico dos ativos de rede e de mobilidade, incluindo instalação e treinamentos. 

“Também realizamos nosso serviço de site survey wireless para o projeto wi-fi. Utilizamos produtos Cisco na estruturação dos ativos de rede e Cisco Meraki para mobilidade”, conta Sylvio Herbst, diretor comercial da integradora.

O portfólio da Cisco Meraki é gerenciado de forma centralizada em nuvem.

“Com a solução, cumprimos mais dois requisitos do projeto: inovar, trazendo a melhor tecnologia disponível no mercado para os colaboradores; e economizar na infraestrutura de cabos, o que gerou mobilidade a todos internamente, como levar os notebooks para onde precisar, inclusive reuniões”, finaliza Garbe.

Article source: https://www.baguete.com.br/noticias/14/06/2018/mercado-bitcoin-renova-infra-com-5f