17 de October de 2017

A Cisco e a transformação digital

À medida que a Era da Digitalização avança, a tecnologia assume um papel central na conectividade entre processos, pessoas e dados. Esta realidade é, hoje, estridente e exige que a abordagem de infraestruturas nacionais seja repensada segundo um modelo capaz de potenciar a digitalização no país. A digitalização tem o potencial de criar um impacto positivo e sustentável em todas a áreas. Entende-se pela digitalização de um país o processo de planeamento e implementação de uma rede tecnológica sofisticada que imprime maior conectividade, produtividade e segurança. A transformação digital está a acontecer hoje de uma forma muito rápida em todas as indústrias, mercados e cidades.

A transformação digital no mundo[MS1] :

A melhoria da conectividade entre as diferentes redes, devido à transformação digital, gerou entre 2013 e 2015 cerca de 19 milhões de novos empregos e impulsionou um crescimento económico de cerca de 400 000 milhões de dólares, globalmente (Booz Company). Segundo a Comissão Europeia, o Produto Interno Bruto (PIB) da União Europeia poderá aumentar em 2,1%, de 2015 a 2020, se existir um reforço do investimento no processo de transformação digital. A digitalização tem, portanto, um papel preponderante na economia e pode fomentar a taxa de emprego melhorando, consequentemente, a competitividade empresarial.

A transformação digital em Portugal[MS2] :

Segundo o relatório de 2017 sobre o Progresso Digital na Europa, Portugal ocupa o 15º lugar, entre os 28 Estados-Membros da União Europeia, no que diz respeito ao Índice de Digitalidade da Economia e da Sociedade (IDES). Este é um parâmetro que regista o progresso registado pelos Estados-Membros em termos da sua digitalização, combinando dados quantitativos do Índice de Digitalidade da Economia e da Sociedade.

Durante o presente ano as empresas Portuguesas mostraram-se disponíveis a beneficiar das oportunidades oferecidas pelas tecnologias digitais, apresentando uma elevada taxa de utilização. No entanto, a percentagem de trabalhadores sem competências digitais em Portugal é de 22%, cerca do dobro da média da União Europeia, e este é um dado alarmante.

Em particular nos quadrantes de população idosa, e população com baixo nível de educação, ou baixos rendimentos o risco de exclusão digital é particularmente elevado e, por isso, em abril de 2017 foi lançada a Iniciativa Nacional de Competências Digitais e.2030 (http://www.incode2030.gov.pt), uma diligência que pretende combater este cenário, incidindo sobre a melhoria das competências digitais da população e, posteriormente, a digitalização da economia.

É importante, ainda, referir que Portugal apresenta uma classificação acima da média no que toca à integração das tecnologias digitais. Todos estes factos sugerem que estão a ser dados passos decisivos para explorar as oportunidades oferecidas pelas tecnologias digitais e, assim, confirmar o interesse genuíno dos protagonistas do setor público e privado, no reforço da transformação digital em Portugal. Há, no entanto, margem para ir mais longe. Exemplo disso são os serviços de computação em nuvem que ainda são utilizados por um número relativamente reduzido de empresas em Portugal (apenas 11 % contra uma média da UE de 13%).15[MS3]

A Cisco na vanguarda da transformação digital [MS4]

Empresas e Governos estão, cada vez mais, a apostar na transformação digital como um uma forma de melhorar a qualidade de vida dos cidadãos, melhorar a eficiência empresarial e assim atrair novo investimento.

Um ótimo exemplo é a plataforma de última geração Cisco Connected Sports Entertainment Solutions instalada no Estádio do Dragão que oferece ao público deste complexo desportivo uma experiência personalizada e totalmente inovadora. Esta é uma rede sem fios de alta densidade baseada na solução Cisco Connected Stadium WiFi, que oferece aos espetadores WiFi de alta densidade escalável, garante o redirecionamento eficiente do tráfego de dados, assegura a partilha de experiências durante o espetáculo desportivo, proporciona aplicações personalizadas capazes de criar um ambiente de espetáculo imersivo e interativo, e permite ter ao dispor um canal de comunicação interno que poderá ser utilizado com outros propósitos, nomeadamente, na área da segurança. Assim, o Futebol Clube do Porto optou por facultar uma experiência social mais rica, interativa e personalizada através dos seus dispositivos móveis e smartphones, a todos os espetadores.

Já a sede da cadeia de supermercados LIDL, em Portugal, implementou a arquitetura Cisco Unified Access, que permitiu adquirir uma maior eficiência energética e ambiental. Esta tecnologia alavancou a mobilidade e a produtividade dos colaboradores, mas também a eficiência energética do edifício, pela gestão centralizada e inteligente dos sistemas distintos em cada localização. Neste caso, foram implementadas soluções que combinam hardware, software e um leque de serviços capazes de potenciar um ambiente inovador enriquecendo, assim, a experiência de todos os que utilizam este novo espaço. Através das Soluções de Mobilidade Cisco implementadas na sede, o Lidl Portugal pretendeu não só potenciar a inovação, mas também garantir maior mobilidade e uma melhor experiência de utilizador junto dos seus colaboradores.

Este é o potencial que as soluções tecnológicas detêm atualmente e a Cisco dispõe de alternativas capazes de fomentar este desenvolvimento ao monitorizar serviços através da gestão de dados da comunidade, gestão de sensores ou até gestão de ativos. Deste modo, a transformação digital ganha contornos claros aos quais ninguém passa indiferente.

O papel da segurança na transformação digital [MS5]

As necessidades tecnológicas de hoje requerem uma evolução das redes digitais que devem ser capazes de suportar as necessidades de cerca de 4,1 milhões de utilizadores, em 2020. Por este motivo, o funcionamento em rede [MS6] deve evoluir de uma mera plataforma de conectividade para uma plataforma de computação, automação, análise e segurança.

Atendendo a que um dos maiores obstáculos à digitalização é, sem sombra de dúvida, a segurança num ambiente em que a ameaça está em constante evolução, a gestão de diferentes redes é muito complexa deixando, muitas vezes, as empresas vulneráveis. Cerca de 60% das organizações abordadas pela Cisco estão relutantes em adquirir produtos e serviços digitais por causa dos potenciais riscos de segurança. Nos dias de hoje os ciberataques podem representar um custo incalculável e este é um assunto alarmante ao qual a Cisco consegue dar uma resposta. Através de uma abordagem integrada as diferentes aplicações partilham informações sobre o contexto e as possíveis ameaças. Deste modo, assim que uma ameaça é identificada em qualquer nível da rede é automaticamente bloqueada em todas as dimensões.

Assim, a segurança já não deve ser uma preocupação inerente à transformação digital, mas antes, uma vantagem integrada neste sistema. Esta é uma propriedade que a Cisco assegura, como um catalisador da Transformação Digital. Através da integração dos diferentes níveis de uma rede, e ao dotar esta mesma plataforma de propriedades de automação e análise garantimos a segurança de todos os utilizadores, e uma resposta eficiente após a deteção de qualquer ameaça.

[MS1]Fonte: Tribuna JMP Anuário Computing

[MS2]Relatório Progresso Digital na Europa 2017 – Índice de DIgitalidade da Economia e da Sociedade (IDES)

[MS3]15 Os dados referem-se a empresas que tenham adquirido, pelo menos, um dos seguintes serviços de computação em nuvem: armazenagem da base de dados da empresa em servidores, aplicações de programas de contabilidade, programas de CRM e capacidade de computação. Não inclui o setor financeiro nem empresas com menos de 10 trabalhadores.

Fonte: Relatório Progresso Digital na Europa 2017 – Índice de DIgitalidade da Economia e da Sociedade (IDES)

[MS4](CISCO Country Digitization acceleration Overview, 2015 October)

[MS5](CISCO Country Digitization acceleration Overview, 2015 October)

[MS6]Tribuna JMP Anuario Computing 2017

Article source: http://exameinformatica.sapo.pt/opiniao/2017-10-13-A-Cisco-e-a-transformacao-digital

Center City Neighborhood Assoc. Looks To Fast Track Plan To …

October 13th, 2017 by WCBC Radio

Whether it is an actual problem or just a perception- the Center City Neighborhood Association is looking to get a plan to address downtown parking issues in Cumberland on the fast track. Jan Wunderlick, a spokesperson for the CCNA, made a presentation Thursday morning seeking an endorsement from the Downtown Development Commission on some of the recommendations that have been developed. While the DDC and the city of Cumberland have been examining a number of parking proposals for several years now- Wunderlick says the time has come to put a firm proposal in place to submit to the city council for possible action…

 
https://www.wcbcradio.com/audio/archive/101317/Wunder1.mp3  

Article source: https://www.wcbcradio.com/?news=center-city-neighborhood-assoc-looks-to-fast-track-plan-to-address-downtown-parking

How Do I Prepare For A CCNA Certification Exam? Get Cisco It …

For any individual who is looking to start a career in IT networking hardware, then CCNA certification test is a primary step to building a successful career. CCNA certification is a valid proof that the person has expert knowledge about network technologies.

To be a successful network engineer, one should keep updated about the latest developments in the technology. It is also essential to clear CCNA exam successfully. The Cisco CCNA exam includes a wide variety of topics from different areas like TCP/IP, configuration settings, and various routing protocols.

CCNA Certification Course - Koenig Solutions

Only having the theoretical knowledge of the subjects will not help you to score high in a CCNA exam. Before appearing for the exam, one must acquire practical knowledge about the field. Apart from getting theoretical knowledge those real-life situations skills to solve various networking issues will also be learned. One will get ninety minutes to address 50 to 60 questions.

Here Are Five Essential Guidelines That Can Help You Gain The Certification:

Set Your Goals – Setting up a goal is a very critical step to becoming a Cisco professional. When you search on the internet about CCNA certification, you will find an extensive list of things related to the exam and different type of specialization in the same exam.

If you decided to become a CCNA Certified Network Engineer, it will not just provide you an insight of the Cisco router and modem configurations settings and commands but will help you in developing an interest in networking.

Study Materials Selection – Not choosing right study material can set you up for failure. There are so many books available in the market which leads to a lot of confusion. Everyone claims to provide the best study material. My suggestion is that you should join some Cisco communities, forums, and discussion boards. Most of the members there have a fair amount of knowledge about the exam, and they will guide you in proper study material selection.

These community members will suggest appropriate authentic books and other study materials which will help you get your exam cleared in the very first attempt. You can ask certified CCNA course professionals about the preparation techniques, notes, and any other doubt. The more questions you will ask, the better your preparation will be.

Go For Some Training – As explained earlier, only getting theoretical knowledge will not be enough. If looking to pass the exam in the first attempt, then you should get practical experience. For practice, you can search any CCNA training institute which has experienced trainers and certified professionals. You can check their reviews, and online testimonials.

Various schools provide different certification training, so choose the school which has experts in your selected field.

Practice Is Essential – The more your practice, the better your command will be. Cisco exams include real-life examples of different situations, so your practical knowledge will help you analyze the situation better and select the right answer.

Basics Concepts- CCNA is all about the basic concepts, and a clarity will set up a strong foundation for you. So, be sure to ask questions again and again until the basics are clear. Only reading books will not help you to access the situation and get the solution. In-depth analysis and combination of both practice and theoretical knowledge will help you to become a successful engineer.

There are several institutes which provide CCNA preparation for different specialization. You should consider this exam as the gateway to enter in the networking field. As a certified engineer, you are expected to be an expert, and by getting proper training, you can become an expert and certified CCNA professional.

Article source: https://www.fabnewz.com/2017/10/13/prepare-ccna-certification-exam-get-cisco-training-tips/

Esperti di reti si diventa – Comunicati

Esperti di reti si diventa
Novità in arrivo per chi cerca formazione nell’ambito del networking e delle reti internet. Ad offrirle Europa Networking, società specializzata proprio nella formazione degli esperti di reti, professionisti responsabili del funzionamento, dello sviluppo e della sicurezza della rete, profondi conoscitori dei protocolli, dei dispositivi di comunicazione e delle tecnologie emergenti.
Europa Networking è un Academy certificata per Cisco, il leader mondiale nel campo delle reti. A Milano la sede è in Viale Monza 7 (MM Loreto) , in questa sede prenderà il via una nuova edizione del corso CCNA, Cisco Certified Network Associate, in modalità serale.

I DETTAGLI

Il corso CCNA rappresenta il primo livello nel sistema delle certificazioni Cisco. La sua durata è di circa 6 mesi, in modalità ibrida (130 ore a distanza e 150 ore in presenza) e prevede la formazione tramite lezioni frontali (presso la nostra sede), esercitazioni e e-learning e Hands-on experience (simulazioni di situazioni vere e troubleshooting direttamente sui nostri laboratori). Alla fine del corso CCNA si consegue il titolo di Cisco Networking Academy Program Graduate valido e riconosciuto in tutto il mondo.

I docenti sono professionisti del settore, certificati Cisco e con preparazione all’attività didattica.
Il sistema “Real Labs” permette l’accesso durante i corsi a laboratori reali che consentono di mettere in pratica e sperimentare le soluzioni apprese in aula.
Il servizio di Student Support, che accompagna gli allievi durante tutto lo svolgimento dei corsi, resta attivo anche dopo la conclusione per supporto nella stesura del cv e consulenza
sugli aggiornamenti e sui percorsi di certificazione Cisco; inoltre gli allievi continuano a ricevere le comunicazioni di Career Connection, ovvero le offerte di lavoro che Europa
Networking raccoglie dalle aziende del settore e inoltra agli allievi interessati.
Gli allievi hanno accesso al materiale didattico online, l’apprendimento è facilitato dalle numerose esercitazioni di laboratorio sugli apparati di rete svolte con la presenza e supporto
dell’Instructor (i laboratori di Europa Networking sono attrezzati con apparati Cisco).

E’ possibile fissare un colloquio individuale o partecipare alle prossime Giornate di Orientamento per avere approfondimenti.

EUROPA NETWORKING – formazione e tecnologia


FONTE ARTICOLO

© Pensi che questo testo violi qualche norma sul copyright, contenga abusi di qualche tipo?
Leggi come procedere

Article source: http://www.comunicati-stampa.net/com/esperti-di-reti-si-diventa.html

The Flash | Estreia do quarto ano resolve questões pendentes na …

The Flash não aguentou ficar 15 minutos, quase literalmente, sem seu herói principal. Em “The Flash Reborn”, primeiro episódio da quarta temporada da série do velocista da DC, vemos o retorno de Barry Allen (Grant Gustin) à Central City após sua emocionante partida para a Força de Aceleração. Logo de cara, somos apresentados a uma nova Iris West (Candice Patton), bem mais fria do que o público está acostumado e na liderança do time de heróis. A primeira parte do episódio mostra que ela e Cisco (Carlos Valdes) lidam com o luto de forma quase oposta – enquanto a jovem noiva se dedica a trabalhar pela segurança da cidade, fazendo o que Barry pediu em sua despedida, o melhor amigo de Flash passa o tempo empregando recursos em segredo para resgatar o herói. Contudo, esse momento delicado para os personagens não dura tanto tempo: Barry retorna (de uniforme novo!) antes que o público consiga sentir sua falta.

É claro que não seria uma tarefa fácil fazer The Flash funcionar sem o Flash, mas resolver grandes eventos com tanta facilidade faz com que o público se acostume a vê-los cada vez com menos impacto. Os fãs foram deixados com o coração na mão no fim da terceira temporada justamente por colocar o protagonista do programa em risco real, mas, apenas um episódio depois, com um salto temporal de seis meses, isso foi resolvido. As possibilidades não eram exatamente limitadas para trabalhar melhor a ausência de Barry: a série podia, de alguma forma, focar na evolução das habilidades – e do ego – de Wally West (Keiynan Lonsdale) ou mesmo mostrar gradualmente as investidas de Cisco em sua missão pessoal de resgatar o amigo. Seria realmente interessante ver algum esforço dos roteiristas em tratar a saída de cena do herói com a proporção que pareceu que teria no encerramento do último ano, mas foi escolhida a via mais confortável e, de certa forma, frustrante.

Ou seja, ao que tudo indica, a série preferiu focar nos efeitos ao longo da temporada do sumiço temporário de Barry do que no evento propriamente dito. De fato, há muitas questões que ficaram abertas em relação tanto ao tempo que ele passou na Força de Aceleração quanto à sua saída de lá. No episódio, vemos que Barry volta com os poderes amplificados e, em contrapartida, completamente transtornado. O rapaz parece ter enlouquecido, passando o tempo rabiscando marcas na parede – ponto para a piada de Cisco com o filme Uma Mente Brilhante – e falando frases desconexas. É bem provável que as coisas que ele desenhou e disse revelem sua real importância mais para frente na trama.

Analisando as frases, aliás, já dá para deduzir que, em sua mente, passado, presente e futuro estavam completamente embaralhados. O rapaz recita a letra da música “Runnin ‘Home to You” em um momento, diz uma frase vista no primeiro episódio da série quando está descobrindo os efeitos da noite da explosão do acelerador de partículas (“você falou que a cidade estava a salvo, sem perigo residual”), entre várias outras coisas. O mais interessante dentre as coisas ditas, contudo, é o que pode ser uma indicação sobre o futuro. Quando o herói diz “sou inocente…eu não matei ninguém”, pode ser uma referência a história dos quadrinhos chamada O Julgamento do Flash, assim como a frase “vamos precisar de mais fraldas” pode ser uma referência aos gêmeos que ele tem no futuro com Iris West.

Falando na noiva do herói, Iris perdeu Barry novamente – desde o primeiro episódio da primeira temporada vemos a jovem lidando com a possibilidade disso acontecer em algum momento dado os riscos aos quais ele se expõe – e está convencida de que dessa vez foi algo definitivo. Os produtores já falaram diversas vezes que a partida de Barry para a Força de Aceleração, como não poderia deixar de ser, vai mexer de alguma forma com o relacionamento deles e isso ficou bem claro no primeiro episódio. Iris está confusa sobre o que sentir após uma sequência de perder o amor de sua vida, ver ele de volta, encarar um Flash aparentemente enlouquecido e, só por fim, se deparar com o Barry de sempre – não há psicológico que aguente tantas mudanças repentinas.

Uma das melhores coisas do episódio foi a revelação dos vilões logo no primeiro episódio. Após a derrota do Samuroid, o público é apresentado ao Pensador (Neil Sandilands) e à Mecânica (Kim Engelbrecht), que serão o principal problema de Flash e seus amigos no novo ano. Os planos da dupla não são claros, mas já é empolgante só pelo ponto de vista de um grande vilão que não é velocista. Outra coisa que pode render bons arcos é o retorno – ainda que repentino demais – de Caitlin Snow (Danielle Panabaker), já que sabe-se pouco do que ela andou fazendo ou com quem estava envolvida nos seis meses do salto temporal e, como já foi visto, também não está completamente resolvida com sua personalidade gelada. A nova temporada de The Flash, no geral, estreou bem, ainda que ironicamente pareça ter se precipitado nas escolhas em relação ao ritmo da trama – para saber se os caminhos escolhidos foram acertados ou não, só acompanhando os próximos episódios.

O novo ano de The Flash estreou em 10 de outubro nos Estados Unidos, enquanto no Brasil o canal pago Warner Channel passa a exibir os capítulos novos a partir de 26 de outubro - saiba mais.

Leia mais sobre The Flash

Article source: https://omelete.uol.com.br/series-tv/artigo/the-flash-estreia-do-quarto-ano-resolve-questoes-pendentes-na-velocidade-da-luz/

TC Media newspapers recognized for excellence on a national level

The Kings County Advertiser and Register, The Hants Journal, The Shelburne Coast Guard and the Yarmouth Vanguard have all won Canadian Community Newspaper Awards.

This prestigious annual awards program features over 30 unique categories honouring outstanding editorial, photography, multimedia and overall excellence in community newspaper publishing. The 2014 competition saw 273 publications from coast to coast submit 2,688 entries representing their best work from 2013.

“The single-minded focus of the TC Media newspaper group is to be the number one provider of news and information for the communities we serve. We work hard to do that and to receive this kind of recognition from a national group such as the CCNA just strengthens our resolve to work even harder. Congratulations to everyone for their outstanding efforts,” said Kevin McIntosh, TC Media’s director of content for the Atlantic and Saskatchewan papers.

The Yarmouth Vanguard received the most awards, including a blue ribbon for general excellence in the 3,000-3,999 circulation category and a second place win in the best sports coverage under 3,999 circulation class.

Carla Allen with the Vanguard had a first place finish in the best feature photo category among papers with a circulation under 3,999.  Her photo, entitled A Splash for a Cause, which captured the expression of Central School principal Jared Purdy’s face as he was being submerged in a dunking booth during the Walk the Walk for Autism event in Yarmouth last June.

Belle Hatfield with the Vanguard won first place with the best historical story among papers with a circulation up to 3,999. Her story - First Nation fish storage site uncovered – was a story about archaeologists who discovered a First Nation fish cache in Yarmouth County.

Yarmouth reporter Tina Comeau placed second in the best feature series category in the under 3,999 circulation class for the multi-part series, Rough Waters. The series explored the fishing industry in southwestern Nova Scotia. She was also awarded the third place award for best news story in the same circulation class for her story, Too Many Deaths. The story examined the issue of prescription drug deaths, which had ended the lives of many young people in Nova Scotia.

The Vanguard also placed second in the outstanding community service category, up to 9,999 circulation, for its involvement with a community-led and community-driven initiative called All Hands on Deck, aimed at readying Yarmouth for the resumption of international ferry service after a four-year absence. The newspaper’s involvement coincided with the Georgetown Conference – a conference on revitalizing rural economies – and the newspaper developed a made-in-Yarmouth Georgetown strategy that combined a community survey conducted by the Vanguard in concert with an All Hands on Deck community town hall meeting. 

The Shelburne Coast Guard reporting team of Amy Woolvett, Greg Bennett and Kathy Johnson was awarded best news story in the under 3,999 category for coverage of the Miss Ally tragedy in the Feb. 26, 2013 newspaper.

Johnson was also awarded first place for best spot news photo coverage in the circulation under 3,999 category for her photo of community members mourning the loss of the five fishermen lost on the Miss Ally.

The Hants Journal was second place in the general excellence category for the circulation category of 2,000-2,999 and placed second for best front page. The winning front page was the Aug. 15, 2013 edition.

Editor Carole Morris-Underhill with the Hants Journal placed first in the outstanding reporter initiative category among all newspapers with a population under 9,999. Her win was for her ongoing coverage of the fire services dispute between Windsor and West Hants.

The Kings County Advertiser received a blue ribbon for general excellence in the circulation category of 3,000-3,999. The papers that received special recognition were the Aug. 20, 2013 and Jan. 29, 2013 editions.

Kings County reporter John DeCoste won first place in the best sports coverage in the under 3,999 circulation class for his Living the Dream series of in-depth athlete interviews. The five articles DeCoste submitted for the awards included profiles of Valley Wildcats hockey player Brady Atwater, soccer/basketball player Katie Ross, Acadia rugby player Emilie Chiasson, football players Shannon Cornelius and Courtney Bell and hockey Axemen Chris Owens.

Dave Glenen, regional editor for Nova Scotia, expressed his congratulations to each of the winning newsrooms and reporters.

“This definitely demonstrates the strength we have in each of our newsrooms. Each newspaper along the South Shore and through the Annapolis Valley, no matter the size, has journalists who are dedicated and committed to telling the stories of the people around them in the best way possible, through our websites and our print editions,” Glenen said.

The full list of winners can be found here.

The Kings County Advertiser and Register, The Hants Journal, The Shelburne Coast Guard and the Yarmouth Vanguard have all won Canadian Community Newspaper Awards.

This prestigious annual awards program features over 30 unique categories honouring outstanding editorial, photography, multimedia and overall excellence in community newspaper publishing. The 2014 competition saw 273 publications from coast to coast submit 2,688 entries representing their best work from 2013.

“The single-minded focus of the TC Media newspaper group is to be the number one provider of news and information for the communities we serve. We work hard to do that and to receive this kind of recognition from a national group such as the CCNA just strengthens our resolve to work even harder. Congratulations to everyone for their outstanding efforts,” said Kevin McIntosh, TC Media’s director of content for the Atlantic and Saskatchewan papers.

The Yarmouth Vanguard received the most awards, including a blue ribbon for general excellence in the 3,000-3,999 circulation category and a second place win in the best sports coverage under 3,999 circulation class.

Carla Allen with the Vanguard had a first place finish in the best feature photo category among papers with a circulation under 3,999.  Her photo, entitled A Splash for a Cause, which captured the expression of Central School principal Jared Purdy’s face as he was being submerged in a dunking booth during the Walk the Walk for Autism event in Yarmouth last June.

Belle Hatfield with the Vanguard won first place with the best historical story among papers with a circulation up to 3,999. Her story - First Nation fish storage site uncovered – was a story about archaeologists who discovered a First Nation fish cache in Yarmouth County.

Yarmouth reporter Tina Comeau placed second in the best feature series category in the under 3,999 circulation class for the multi-part series, Rough Waters. The series explored the fishing industry in southwestern Nova Scotia. She was also awarded the third place award for best news story in the same circulation class for her story, Too Many Deaths. The story examined the issue of prescription drug deaths, which had ended the lives of many young people in Nova Scotia.

The Vanguard also placed second in the outstanding community service category, up to 9,999 circulation, for its involvement with a community-led and community-driven initiative called All Hands on Deck, aimed at readying Yarmouth for the resumption of international ferry service after a four-year absence. The newspaper’s involvement coincided with the Georgetown Conference – a conference on revitalizing rural economies – and the newspaper developed a made-in-Yarmouth Georgetown strategy that combined a community survey conducted by the Vanguard in concert with an All Hands on Deck community town hall meeting. 

The Shelburne Coast Guard reporting team of Amy Woolvett, Greg Bennett and Kathy Johnson was awarded best news story in the under 3,999 category for coverage of the Miss Ally tragedy in the Feb. 26, 2013 newspaper.

Johnson was also awarded first place for best spot news photo coverage in the circulation under 3,999 category for her photo of community members mourning the loss of the five fishermen lost on the Miss Ally.

The Hants Journal was second place in the general excellence category for the circulation category of 2,000-2,999 and placed second for best front page. The winning front page was the Aug. 15, 2013 edition.

Editor Carole Morris-Underhill with the Hants Journal placed first in the outstanding reporter initiative category among all newspapers with a population under 9,999. Her win was for her ongoing coverage of the fire services dispute between Windsor and West Hants.

The Kings County Advertiser received a blue ribbon for general excellence in the circulation category of 3,000-3,999. The papers that received special recognition were the Aug. 20, 2013 and Jan. 29, 2013 editions.

Kings County reporter John DeCoste won first place in the best sports coverage in the under 3,999 circulation class for his Living the Dream series of in-depth athlete interviews. The five articles DeCoste submitted for the awards included profiles of Valley Wildcats hockey player Brady Atwater, soccer/basketball player Katie Ross, Acadia rugby player Emilie Chiasson, football players Shannon Cornelius and Courtney Bell and hockey Axemen Chris Owens.

Dave Glenen, regional editor for Nova Scotia, expressed his congratulations to each of the winning newsrooms and reporters.

“This definitely demonstrates the strength we have in each of our newsrooms. Each newspaper along the South Shore and through the Annapolis Valley, no matter the size, has journalists who are dedicated and committed to telling the stories of the people around them in the best way possible, through our websites and our print editions,” Glenen said.

The full list of winners can be found here.

Article source: http://www.thecoastguard.ca/news/local/tc-media-newspapers-recognized-for-excellence-on-a-national-level-92694/

Canon renforce sa présence sur le marché marocain – H24info


A gauche, Somesh Adukia, directeur des ventes et marketing B2C (CCNA). A droite, Ilias Azzaoui, Country Manager B2C Canon Maroc (CCNA).

La géant japonais de l’imagerie, Canon, vient d’annoncer la consolidation de sa présence en B2C (“Business to consumer”) au sein du marché national, notamment via de nouveaux partenariats avec deux distributeurs locaux.


L’annonce a été faite, le 4 octobre à Casablanca, par Somesh Adukia, directeur des ventes et marketing B2C de Canon Afrique Centrale et du Nord (CCNA). Le géant japonais a ainsi noué des partenariats de distribution avec Disty et Disway, deux spécialistes de la distribution de matériel informatique au sein du royaume.

À travers ces partenariats, Canon aspire à étendre sa présence auprès des consommateurs marocains, notamment les photographes, vidéographes et aux autres professionnels de l’imagerie.


Adukia a par ailleurs déclaré que la filiale marocaine procédera au recrutement d’un staff complet afin de renforcer son activité. De plus, Canon s’engage à offrir aux clients marocains un service après-vente de qualité via son partenariat avec Ensure Technical Services.

La rencontre de mercredi dernier a été également l’occasion de présenter de nombreux produits, notamment les caméras Canon Cinema C200, les appareils photo DSLR Canon EOS 5DMKIV, ainsi que les imprimantes PIXMA Ink et une gamme d’imprimantes laser.

Lire aussi

Article source: https://www.h24info.ma/economie/entreprises/canon-renforce-presence-marche-marocain/

ChinaCache Appoints Former Incapsula Executive to Lead North …

BEIJING, Sept. 26, 2017 (GLOBE NEWSWIRE) — ChinaCache International Holdings Ltd. (“ChinaCache” or the “Company”) (Nasdaq:CCIH), a leading total solutions provider of Internet content and application delivery services in China, today announced the appointment of Mr. Luis Curet as the General Manager of ChinaCache North America, Inc. (“CCNA”). In this role, Mr. Curet will be responsible for the business operations and management of CCNA, and be based in ChinaCache’s Silicon Valley office.

Mr. Wang Song, CEO of ChinaCache, commented, “We are very pleased to welcome Luis to the ChinaCache team. We are excited about our strategy to leverage CDN, data center and Internet exchange (CHN-IX) to grow internationally and become a global leader in the industry. We are focused on staying ahead of the market trends to deliver leading CDN services and solutions to our customers around the world. Luis’s vision and experience will help us to become a world-class global Internet company and further enhance our customer’s experience.”

“I had the opportunity to work with ChinaCache during my tenure at Incaspula,” said Mr. Curet. “ChinaCache was a key partner and I was very impressed with their technology. I feel my business experience within Silicon Valley and across North America will significantly help us grow our business with companies that are looking to expand their presence within China.”

Mr. Curet began his career in engineering with IBM, before moving into sales and marketing. He gained extensive experience in the technology sector by working more than 15 years in IT security networking firms, where he held multiple senior leadership roles. Before joining ChinaCache, Mr. Curet was Vice President of Sales, Americas at Imperva Incapsula. He also currently serves as an advisor for several start-up companies with international operations. Mr. Curet holds a Bachelor of Science degree in Industrial Engineering from the University of Wisconsin – Madison.

About ChinaCache International Holdings Ltd.

ChinaCache International Holdings Ltd. (Nasdaq:CCIH) is a leading total solutions provider of Internet content and application delivery services in China. As a carrier-neutral service provider, ChinaCache’s network in China is interconnected with networks operated by all telecom carriers, major non-carriers and local Internet service providers. With more than a decade of experience in developing solutions tailored to China’s complex Internet infrastructure, ChinaCache is a partner of choice for businesses, government agencies and other enterprises to enhance the reliability and scalability of online services and applications and improve end-user experience. For more information on ChinaCache, please visit ir.chinacache.com.

For investor and media inquiries please contact:

Investor Relations Department
ChinaCache International Holdings
Tel: +86 10 6408 5306
Email: ir@chinacache.com

Mr. Ross Warner
The Piacente Group | Investor Relations
Tel: +86 10 5730-6200
Email: chinacache@tpg-ir.com

Ms. Brandi Piacente
The Piacente Group | Investor Relations
Tel: +1 212-481-2050
Email: chinacache@tpg-ir.com


Article source: https://globenewswire.com/news-release/2017/09/26/1132730/0/en/ChinaCache-Appoints-Former-Incapsula-Executive-to-Lead-North-American-Growth.html

Universidade Tiradentes moderniza processo de aprendizagem …

As instituições de ensino têm como uma das metas incentivar e facilitar o acesso às informações e a troca de conhecimentos entre professores e alunos. Prevendo que a tecnologia teria um papel importante no ensino, a UNIT (Universidade Tiradentes), presente em mais de 30 cidades do nordeste e com quase 50 mil alunos, reformulou a infraestrutura de TI e Telecom com soluções Cisco, líder em tecnologia, para atender demandas do mercado, de seus alunos e seus professores, cada vez mais conectados.

Com projeto iniciado em 2014, a área de TI da UNIT passou a integrar a área de estratégia da empresa, atuando nas principais decisões coorporativas, e implantou o projeto ‘Tiradentes Digital’, iniciativa que visa preparar a Universidade para receber novos serviços e processos ligados à educação digital, alinhado às expectativas dos alunos e do mercado futuro.

O projeto Tiradentes Digital não se concentrou apenas em disponibilizar conectividade a alunos e professores, mas também em ampliar os limites da própria instituição. Para isso, optou em ter a Cisco como parceira na instalação de redes de 10 Gigabits e Wi-Fi em todas as salas de aula, que passaram a disponibilizar acesso aos alunos.

“Fazendo uma análise do mercado, percebemos que as Universidades – não apenas as instituições que fazem parte do Grupo Tiradentes – precisavam fazer o dever de casa e se preparar para o processo de digitalização, o que pressupõe uma tecnologia cada vez mais transparente e disponível para o aluno”, afirma Domingos Machado, executivo da UNIT que liderou a reestruturação em infraestrutura de rede.

Projeto

Para suportar toda a demanda da rede wireless, foram instalados pela Teltec, parceira da Cisco, links de conexão de 10 Gigabits e APs por todos os ambientes físicos das unidades educacionais. “Vídeo é um item relevante, mas deve ser incorporado à modernização da sala de aula”, pontua Machado.

Assim, o projeto Tiradentes Digital habilitou os recursos básicos de infraestrutura para que à Unit e demais unidades educacionais possam expandir os processos de ensino e aprendizagem com novas ferramentas e metodologias utilizando tecnologias modernas.

Atualmente, o Grupo Tiradentes possui uma rede totalmente unificada pelo nordeste, um ponto de gerenciamento único de LAN e WLAN e uma rede WI-FI segura pela autenticação da rede, que mantem picos diários de 15 mil usuários conectados simultaneamente.

No padrão Gigabit, a rede WI-FI foi projetada para suportar aproximadamente 60 usuários por sala de aula (com mais de um dispositivo) e tem cobertura em todas as áreas internas e externas das faculdades, incluindo áreas das piscinas, campos de futebol e os espaços de convivência.

Toda a segmentação de rede e interconexão entre as unidades são feitas via protocolo de rede avançado. O suporte e o atendimento aos alunos e professores são realizados por um time de profissionais da Teltec Solutions que ficam alocados dentro da própria UNIT e em um centro de operações e suporte.

Conexão via satélite

Para aperfeiçoar as aulas e até reduzir custos e tempo de locomoção de professores, a instituição substituiu a conexão via satélite por salas de telepresença e a plataforma Cisco WebEx para transmitir as aulas de EAD. “A Tecnologia deve ser vista como grande aliada do professor e da educação. Não se deve considerar a tecnologia como um fim, mas como um meio para melhorar a qualidade e eficiência dos processos de ensino e aprendizagem”, afirma Ricardo Santos, especialista da vertical de educação pela Cisco do Brasil e América Latina.

Outro benefício da nova rede é a oportunidade de utilizar aplicativos importantes para o dia-a-dia da Universidade, como a “avaliação da aula”, utilizado por alunos para fazer críticas e sugestões às aulas assim que elas terminam.

Todo o projeto visa que a tecnologia se torne um diferencial competitivo para o Grupo Tiradentes. “Os estudantes de hoje já são nativos digitais. Já não se pode colocá-los em uma sala de aula apenas com caderno e caneta. É preciso atualizar o método de ensino e a Universidade Tiradentes segue neste novo caminho com a ajuda das soluções Cisco”, conclui Santos, da Cisco.

Article source: https://itforum365.com.br/conectividade/redes-e-comunicacoes/universidade-tiradentes-moderniza-processo-de-aprendizagem-com-cisco

Graduates, These Are The Skills IT Firms Are Looking For

As India’s IT industry loses some of its momentum this year, companies have reportedly reduced their uptake of fresh graduates. Along with slower hiring trends over the past few quarters, reports of layoffs of mid-level employees earlier this year have created anxiety among college graduates over securing tech jobs and standing out among a crowd of workers with similar skills. To help fresh graduates figure out the demands of the industry, Simplilearn, an online professional education portal, has come up with a detailed finding about some of the top skills that employers in India are looking for in fresh graduates.

According to Simplilearn, in Big Data and Analytics jobs, which have the highest median pay of Rs 4 lakh per annum for young graduates, employers want potential employees to be aware of SAS, Python, Big Data, Hive, Macros, Advanced Excel etc.

Digital Marketing, which also has a high demand for fresh graduates, requires a different set of skills. With salaries in the range of Rs 1.6 lakh to Rs 3.6 lakh, digital marketing jobs require skills in Webtrends, SEO, Display Advertising, Social Media, Google Adwords among others, according to Simplilearn.

Mobile and Software Development jobs, which have a median salary of Rs 3 lakh per annum, require potential candidates to be proficient in Java, Dotnet, PHP, ASP, Android, NoSQL among others.

For fresh graduates aspiring for jobs in IT services and IT Architecture, CCNA, CCNP, Networking, Technical Support and PHP are among the most important skills required.

Project management job roles require graduates to be trained in Six Sigma, Tendering, AutoCAD and PMP certification.

Here is the full infographic:

tech skills infographic

Article source: http://profit.ndtv.com/news/tech-media-telecom/article-graduates-these-are-the-skills-it-firms-are-looking-for-in-one-awesome-infographic-1759166