22 de March de 2019

Cisco une-se à Startup Portugal para “acelerar” investimento dos mercados internacionais

A multinacional tecnológica norte-americana Cisco quer “acelerar o ecossistema empreendedor português”. No passado dia 20 de Fevereiro, anunciou a celebração de uma parceria com a incubadora Startup Lisboa, que se poderá traduzir-se, entre outros, em potenciais investimentos na inovação portuguesa, através da partilha de informações sobre as start-ups nacionais com as equipas de capital de risco da tecnológica.

A empresa, que é uma das líderes mundial no sector das tecnologias de informação e comunicação e cibersegurança, anunciou uma parceria com a Startup Lisboa, a incubadora lisboeta fundada em 2011 pelo município, o banco Montepio e o IAPMEI – Agência para a Competitividade e Inovação e que resultou de uma proposta vencedora do Orçamento Participativo da cidade de 2009-2010. Entre as medidas que a parceria se propõe a implementar, está a partilha de informações sobre as start-ups nacionais com as equipas de capital de risco da Cisco – o que poderá atrair investimento para as empresas portuguesas.

A parceria agora firmada prevê, igualmente, a possibilidade de utilização, por parte das start-ups e empreendedores do ecossistema de inovação nacional, das soluções de desenvolvimento (DevNet) produzidas pela Cisco, assim como dos conteúdos das academias de formação da empresa de tecnologias de informação. Para Miguel Fontes, director executivo da Startup Lisboa, esta colaborações entre as duas entidades permitirá “criar valor” e poderá revelar-se importante, “sobretudo, no alcance de mercados internacionais” por parte das start-ups portuguesas.

 

Article source: http://smart-cities.pt/tic/cisco-startup-0603/

Cisco localiza vulnerabilidades em três modelos de roteadores lançados em junho – Mercado

Foram descobertas vulnerabilidades em alguns modelos de roteadores wireless lançados pela Cisco em junho. Tratam-se dos modelos Cisco RV110W Wireless-N VPN Firewall, Cisco RV130W Wireless-N Multifunction VPN Router e Cisco RV215W Wireless-N VPN (este último que sofreu uma atualização de firmware há dois meses também por conta de bugs descobertos após seu lançamento).

Nesses três modelos de roteador, foi encontrada uma vulnerabilidade em sua interface de linhas de comando (CLI) que poderia permitir que invasores locais injetassem comandos shell arbitrários para serem executados por ali. De acordo com a companhia, a vulnerabilidade se deve à validação insuficiente de inputs registrados no CLI, e um invasor poderia explorar a falha e executar comandos ou scripts que afetariam o funcionamento do dispositivo.

Uma outra falha descoberta pela companhia nesses mesmos aparelhos estava na conta principal quando usada com uma determinada configuração, podendo permitir um ataque remoto autenticado que fornecesse acesso a todas as configurações do dispositivo, ou ainda dando ao invasor privilégios de administrador – o que ninguém deseja. No boletim de correção deste problema, a Cisco explicou que a conta principal nunca deve ter tais privilégios, com a capacidade de alterar configurações do aparelho, podendo, no máximo, apenas visualizá-las.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A companhia já liberou atualizações de softwares para os aparelhos contendo as devidas correções, e aconselhou seus clientes a desabilitar o acesso remoto temporariamente. Caso isso não seja possível, a companhia recomenda restringir o acesso às configurações do roteador a um IP específico usado pelo profissional que precisa desse tipo de acesso.

Ah, e atenção: quem ainda usa os modelos RV180 VPN ou o RV180W precisa ficar atento, pois esses dois aparelhos não receberão mais atualizações de segurança da companhia, uma vez que estão saindo de linha.

Fonte: The Register

Article source: https://canaltech.com.br/mercado/cisco-localiza-vulnerabilidades-em-tres-modelos-de-roteadores-liberados-em-junho-75731/

Mondial Assistance: nova infra com Cisco | Notícias

A Mondial Assistance, empresa de seguros do grupo Allianz, implantou a solução de automação e gerenciamento do atendimento ao cliente Cisco Call Manager com consultoria da ATelecom e Wittel

O projeto envolveu a reformulação com switches Cisco 4500 das redes instaladas entre os sites de contact center da companhia, instalados em São Bernardo do Campo, na grande São Paulo. 

A Wittel fez a implantação das unidades de resposta audível  e a instalação do call manager e gravadores.

A instalação do Cisco Call Manager viabilizou a comunicação por Voz sobre IP (VoIP), operacionalizada pela central de telefonia SIP Trunk. 

“Antes do projeto, o máximo que conseguíamos era usar a tecnologia TDM, insuficiente para lidar com novas tecnologias e as exigências dos clientes que temos conquistado”, relata Marcello Rodriguez, gerente de infraestrutura de TI e Telecom da Mondial Assistance.

A Mondial Assistance também aproveitou a nova infraestrutura de rede para implementar equipamentos de videoconferência em três salas.

A companhia tem 20 anos de atuação no Brasil, onde emprega 1,7 mil profissionais.

A ATelecom tem sedes em Brasília e São Paulo e trabalha com tecnologias da Cisco, Unify, Algar Telecom, Polycom e AltisTech.

Já a Wittel trabalha com Cisco, Genesys, Verint e Nice e tem operações em São Paulo, Rio de Janeiro e Santiago no Chile.

Article source: https://www.baguete.com.br/noticias/08/03/2017/mondial-assistance-nova-infra-com-cisco

Bicicletas elétricas da Yellow chegam a São Paulo – Infra

A partir de hoje (11) a cidade de São Paulo ganha mais uma opção de mobilidade. As bicicletas elétricas da Yellow finalmente estão disponíveis na Capital Bandeirante. Com isso, e empresa passa a ser a primeira a oferecer o serviço de compartilhamento desses veículos no sistema dockless (sem estação para retirada e devolução). O preço inicial de operação é de R$5,00 para o desbloqueio mais R$ 0,40 a cada minuto de uso.

“Nossa área de atuação inicial em São Paulo será a mesma já utilizada pelos patinetes elétricos, com uma área total de 21 quilômetros quadrados”, explica um dos fundadores da Yellow, Ariel Lambrecht.

As bikes elétricas da Yellow não têm acelerador, mas possuem pedal assistido, um sensor que ativa o auxílio do motor conforme detecta as pedaladas. “O ciclista vai sentir o pedal mais leve e a velocidade será alcançada com facilidade. Será, com certeza, um processo tão fácil como andar nas nossas outras bikes ou nos nossos patinetes elétricos”, explica Lambrecht.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Disponibilidade

Segundo a empresa, as bicicletas elétricas estarão disponíveis nos locais pré-estabelecidos das 8h às 21h. O abastecimento é feito todas as manhãs e, ao começar a utilizar o produto, o usuário pode encerrar o período de corrida em qualquer um destes pontos de coleta ou dentro da área de atendimento que, inicialmente, vai da região da Avenida Paulista até a Vila Cruzeiro. No final do dia, a Yellow recolhe as bicicletas para recarga, manutenção e limpeza, colocando-as de volta nos postos assim que o serviço for concluído.


A velocidade máxima das bikes elétricas é de 25 km/h e elas possuem campainha, espelhos retrovisores e sinalização noturna dianteira, traseira e lateral, conforme resolução do Contran. Diferente das bicicletas comuns, o uso de capacete é obrigatório para as bicicletas elétricas.

Assim como em todas as cidades onde a Yellow atua, as corridas podem ser pagas com cartão de crédito e dinheiro. Os créditos para uso das bicicletas poderão ser comprados em dinheiro em bancas de jornal e estabelecimentos parceiros espalhados pela cidade, como lojas e lanchonetes, que vão receber o valor em espécie e transferir, na hora, o montante para o app do usuário, como já acontece com as recargas de celular.

Fonte: Yellow

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

Article source: https://canaltech.com.br/infra/bicicletas-eletricas-da-yellow-chegam-em-sao-paulo-134475/

Cisco Brasil espera manter crescimento de dois dígitos

Na contramão de um cenário econômico com dificuldades para se estabilizar, a Cisco comemora um “momento espetacular” no Brasil com desempenho de crescimento de “dígitos duplos altos”. A companhia não divulga números específicos para o mercado brasileiro e está prestes a publicar o balanço financeiro referente ao primeiro trimestre do ano fiscal de 2018 encerrado em outubro, mas a expectativa é de continuar a crescer no País no mesmo ritmo nos próximos trimestres. De acordo com o presidente da fornecedora, Laércio Albuquerque, essa projeção não é baseada apenas em otimismo, mas também nas tendências de investimento do mercado local e a “realidade de planejamento” da empresa. “É uma mistura de feeling patriótico com planejamento”, disse ele em conversa com jornalistas nesta terça-feira, 7, no evento Cisco Live no México.

O fato é que o desempenho da unidade brasileira da companhia resultou na premiação interna de “top country of the year” por ter sido o mercado que mais cresceu em todas as métricas. “Isso mostra um descolamento muito forte do que está acontecendo na economia e na política”, declara o executivo. A causa também é por uma decisão estratégica dos clientes: “A gente está vendo que, em todas as indústrias, o budget de tecnologia aumenta e em outras áreas cai”.

“Eu vejo um país investindo em tecnologia, converso com CEOs e presidentes de empresas todos os dias, toda a semana estou com um face a face”, declara. Segundo o executivo, a estratégia das empresas estão passando pela reinvenção da experiência do cliente e do funcionário com a transformação digital. O crescimento também advém do fato de o brasileiro ser “early adopter”, na visão de Albuquerque, e da transformação do modelo de negócios da própria Cisco para o esquema de subscrição/serviços com software. Ainda assim, entre 69% da receita da companhia continua advinda de hardware. Considerando o negócio global, a empresa afirma ter duplicado a receita de software nos últimos dois anos para US$ 5 bilhões atualmente.

Oportunidades

Laércio Albuquerque cita também que a escalabilidade da rede para a chegada da Internet das Coisas, a preparação para o ambiente multicloud e sobretudo o fator de segurança têm sido o objetivo do budget dos clientes da fornecedora. “O ponto principal é a segurança, mas não só com soluções, e sim com a situação que tem feito alavancar todo o resto (do portfólio da Cisco) com a necessidade de renovação da rede”, declara. Um exemplo é a adoção de soluções corporativas de comunicação em vez de se valer de plataformas comuns de mensageria com cloud pública, como o WhatsApp.

Segundo o presidente da Cisco Brasil, a preparação para a IoT também tem influenciado o desempenho da empresa. Ele diz que cerca de 70% das empresas brasileiras que já adotaram a tecnologia visavam a melhoria na produtividade e a eficiência operacional em vez de apenas focar na reinvenção da experiência do cliente. Há também uma boa receptividade para o Plano Nacional de IoT em elaboração pelo governo, apesar de focado em verticais de saúde, manufatura e agronegócios. “O fato de já aceitar que o Brasil tem que ter programa, política pública e desburocratização é algo que nos entusiasma sim, a gente vê com bons olhos, porque o que é feito para uma indústria expande para as demais.”

A Inteligência Artificial entra neste âmbito, especialmente no gerenciamento da rede. “Deixa as máquinas gerenciarem as máquinas”, declara Albuquerque, citando a vice-presidente de iniciativas de crescimento e chefe do escritório do CEO da Cisco, Ruba Borno. “A AI é usada no próprio analytics da rede, conseguindo com isso e com machine learning qual a elasticidade necessária, expandindo a infraestrutura de cloud”, contextualiza. “O uso de AI não é de aplicativo, não é necessariamente para o cliente final. É para um melhor uso da infraestrutura necessária para a melhor conectividade.”

Também contribuiu para o crescimento da fornecedora no Brasil as soluções de colaboração. A Cisco conseguiu a homologação na Anatel do hardware do Spark Board, uma plataforma de videoconferência com compartilhamento de anotações em uma espécie de quadro negro digital. “Esse produto é importado ainda, mas esse ano atingimos 40% das vendas locais através da fábrica local. E a expectativa nos próximos três meses é de ter localização e software também vendido localmente”, declara Laércio Albuquerque.

* O jornalista viajou a Cancún a convite da Cisco Brasil.

Article source: http://teletime.com.br/07/11/2017/cisco-brasil-espera-manter-crescimento-de-dois-digitos/

Sedes do Facebook, Google e Cisco no Vale do Silício estão ameaçadas pela maré – Mercado

Uma reportagem especial do The Guardian fez um alerta preocupante: as sedes do Facebook, da Cisco e do Google, no Vale do Silício (Estados Unidos), podem ter suas estruturas ameaçadas por conta do aumento do nível do mar na região. De acordo com especialistas, mesmo considerando o cenário mais otimista das mudanças climáticas, essa região estaria comprometida.

Entre as três instalações, o novo campus do Facebook é o que corre maior risco de ser inundado em um futuro não muito distante, uma vez que está localizado mais próximo à costa. A unidade, que foi inaugurada no ano passado, tem 40 mil metros quadrados e é uma extensão da base de Menlo Park, sendo capaz de abrigar um staff de até 2.800 funcionários.

sede Facebook Bay Area

A unidade do Facebook localizada na Bay Area (Reprodução: Divulgação)

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Lindy Lowe, que trabalha na Bay Conservation and Development Comission (BCDC) – órgão que protege a região de Bay Area -, diz que o QG do Facebook está mais vulnerável porque “eles construíram [o campus] em uma área muito rebaixada”. O local já sofreu alguns alagamentos, e segundo Lowe, temporariamente a companhia pode dar um jeito no problema, mas não a longo prazo, uma vez que inundações constantes acabarão abalando a estrutura pouco a pouco.

De acordo com previsões meteorológicas, é possível que essa unidade do Facebook seja inundada até o final do século, mas dentro das próximas décadas a estrada que dá acesso ao complexo sofrerá com tantos alagamentos que precisará de uma adaptação gritante para que continue servindo a seu propósito.

sede Google Moutain View

Foto aérea do Googleplex, o complexo da gigante das buscas (Reprodução: Divulgação)

Já quanto à sede do Google, localizada em Moutain View, e às instalações da Cisco, em San Jose, as previsões não são tão imediatistas, mas ainda assim preocupantes. Caso o efeito estufa continue acelerando o aquecimento global, o degelo da costa do Polo Norte provocará um aumento do nível do mar na região de São Francisco de quase dois metros, comprometendo ambas as locações.

sede Cisco San Jose

As instalações da Cisco em San Jose (Reprodução: Cisco)

Quanto às soluções para essa tragédia anunciada, o diretor de planejamento da cidade de São Francisco, Gil Kelley, disse que o poder público está estudando a viabilidade de projetos para manter a infraestrutura dessas empresas a salvo, mas não desconsidera a possibilidade das gigantes da tecnologia um dia precisarem se mudar dali. “Nós temos uma grande comunidade científica e podemos envolvê-la em um desafio global” para resolver o problema, disse Kelley, esperançoso.

Fonte: The Guardian

Article source: https://canaltech.com.br/mercado/sedes-do-facebook-google-e-cisco-no-vale-do-silicio-estao-ameacadas-pela-mare-63741/

Cisco vai pagar US$ 1,4 bilhão por empresa de Internet das Coisas Jasper

Sede da Cisco Systems, na Califórnia (Foto: David Paul Morris/Bloomberg via Getty Images)

A Cisco Systems disse nesta quarta-feira que está comprando a Jasper Technologies, startup que conecta aparelhos como carros e equipamentos médicos à Internet, por US$ 1,4 bilhão e ações, sua maior aquisição desde 2013.

Companhias de tecnologia tradicionais como a Cisco têm tentado encontrar caminhos para o crescimento enquanto novos desenvolvimentos tecnológicos, como a ascensão da computação em nuvem, ameaçam seu negócio principal. O campo emergente apelidado de Internet das Coisas oferece à Cisco, conhecida por equipamentos de rede, uma chance de oferecer tecnologia inovadora a seus atuais clientes.

Além de conectar aparelhos à Internet, a Jasper produz uma plataforma de software que ajuda a monitorar esses dispositivos quando eles estão online.

A Jasper é o maior negócio da Cisco desde a aquisição da empresa de segurança Sourcefire por US$ 2,7 bilhões em 2013.

(Por Liana B. Baker)

Article source: https://epocanegocios.globo.com/Empresa/noticia/2016/02/cisco-vai-pagar-us-14-bilhao-por-empresa-de-internet-das-coisas-jasper.html

Laboratório Cisco celebra 15 anos em Campinas com mostra gratuita de curtas, shows e festa

O Laboratório Cisco – produtora audiovisual de Campinas – celebra seus 15 anos e vai realizar uma programação gratuita com festa, shows, mostra de curtas e exibição de filmes inéditos da produtora. O evento será realizado entre os dias 12 e 14 de março.

As comemorações começam dia 12 de março, terça-feira, às 20h, com a estreia do longa “Esquerda em Transe”, na Adunicamp, dentro do campus da Unicamp.

Na quarta-feira, dia 13 de março, às 20h, terá a pré-estreia do curta-metragem “Pluma Forte”, com direção de Coraci Ruiz, seguido de um pocket show da cantora campineira Ieda Cruz, que assina a trilha sonora do filme. O evento vai ser no Macunaíma Pizza Popular Brasileira, em Barão Geraldo.

Já na quinta-feira, dia 14 de março, a Festa dos 15 anos da Cisco encerra o ciclo de comemorações no Bar do Zé, em Barão Geraldo. O evento começa às 19h, com a exibição de curtas-metragens da produtora e um pocket-show do violeiro João Arruda. A partir das 22h, a festa segue ao som do brega dançante da banda CRAU e a discotecagem feminista da DJ Pagu. O evento é gratuito até 22h e, após esse horário, a entrada é R$ 5.

Programação:

Lançamento do filme “Esquerda em Transe”
12/03, às 20h
Local: ADunicamp – Av. Érico Veríssimo, 1479 – Campinas
Entrada: gratuita

Pré-estreia do curta-metragem “Pluma Forte”, de Coraci Ruiz + pocket show com Ieda Cruz
13/03, às 20h
Local: Macunaíma Pizza Popular Brasileira – Rua José Martins, 613 – Campinas
Entrada: gratuita

Festa de 15 anos
14/03, às 19h
Local: Bar do Zé – Avenida Albino José Barbosa de Oliveira, 1325 – Campinas
Entrada: gratuita até 22h ou R$5 sem nome confirmado no evento após 22h

Article source: https://www.campinas.com.br/agenda/laboratorio-cisco-celebra-15-anos-em-campinas-com-mostra-gratuita-de-curtas-shows-e-festa/

Bacardi: nova sede com Cisco | Notícias

A Bacardi fez uma renovação da sua infraestrutura de comunicação com tecnologias da Cisco.

Foram adquiridos produtos para telefonia IP e rede Wi-Fi. O projeto, entregue pela Stoneground, gerou uma economia de 40% com telefonia e maior integração entre funcionários

“O ambiente agora é mais livre e colaborativo, não há mesas ou salas específicas, e as equipes podem trabalhar no local que acharem melhor”, afirma João Catto, analista de suporte de TI da Bacardi.

A fabricante de bebidas está montando uma central de relacionamento para atender seus clientes por meio da unidade de resposta audível personalizada, utilizando o Cisco Contact Center Express.

Entre as soluções implantadas na Bacardi estão 100 ramais IP e Cisco BE6k, plataforma com dez aplicativos de comunicação unificada e colaboração, como videoconferência e correio de voz. 

Outra mudança foi a adoção do Cisco Presence, que engloba plataforma de colaboração por meio da solução Cisco Jabber, com o qual os colaboradores remotos ganham mobilidade no trabalho a partir das funções de comunicação.

A nova infraestrutura de telecomunicações coincide com a decisão recente da Bacardí de transferir sua produção de bebidas no país de São Bernardo do Campo, cidade da região metropolitana de São Paulo, para Pernambuco. 

Com a medida, 145 funcionários dos departamentos de vendas e de marketing, equipes de apoio em recursos humanos, tecnologia da informação, finanças e jurídico, foram transferidos para escritório em São Paulo, capital.

Article source: https://www.baguete.com.br/noticias/30/10/2017/bacardi-nova-sede-com-cisco

Cisco tem nova gerente regional no RS

A Cisco  anuncia Bruna Gabech como nova gerente regional para o Rio Grande do Sul. 

Nos últimos 6 meses, ela atuou como gerente regional de vendas da Palo Alto. Antes, atuou na PromonLogicalis por 3 anos.

Entre 2008 e 2012, Bruna fez parte da equipe da Sonda IT.

A executiva é administradora de empresas pela PUC-RS e tem MBA em gestão estratégica e econômica de negócios pela FGV-RS.

“O Rio Grande do Sul é um grande potencial para o mercado de Tecnologia da Informação. Aqui estão grandes centros de inovação e empresas que investem acima da média no setor. Estou certa do excelente trabalho que será desenvolvido nessa região”, afirma Bruna.

Bruna fará parte da estrutura de commercial da Cisco, liderada por Ana Claudia Plihal, com atuação em conjunto com os canais da região sul. 

A contratação de Bruna é parte de uma estratégia da Cisco de ampliar seu faturamento fora de São Paulo, estado que respondeu por 65% do total de vendas no ano passado.

Article source: https://www.baguete.com.br/noticias/20/12/2016/cisco-tem-nova-gerente-regional-no-rs