23 de February de 2020

IFSP abre Inscrições para cursos gratuitos – Jornal A Cidade


A partir desta sexta-feira, estarão abertas as inscrições  para os cursos de extensão gratuitos de Formação Inicial e Continuada (FIC), do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP) Campus Votuporanga.

Os cursos são realizados em parceria com a Prefeitura de Votuporanga.As vagas serão ocupadas por ordem de chegada, portanto, é possível que alguns cursos se esgotem antes do prazo final, dia 6 de março. O edital informa que, por conta do carnaval, nos dias 24, 25 e 26 não haverá expediente no Câmpus Votuporanga. Mesmo após a inscrição online, o candidato terá de entregar a ficha de inscrição impressa e a fotocópia de seus documentos pessoais.

São 20 vagas para os cursos de Alemão Básico; AutoCad Básico; O Preparatório para Certificação Profissional em Redes de Computadores: CISCO CCNA I – Introdução a Redes; e, Introdução ao software SciLab. Para o curso de Ginasticando, a turma terá 40 alunos; enquanto que para o curso de Lógica de Programação – letramento para linguagem de computadores, são 15 vagas, mas quantidade para Ensino de Língua Portuguesa como segunda língua para surdos: Leitura, Interpretação e Escrita I. O IFSP ainda oferece 35 vagas para o curso de Libras Básico e O Ensino de Libras: Inclusão e Educação.  O curso de Tecnologia e Gamificação aplicada ao Ensino: Formação docente, criatividade e inovação em sala de aula (Curso EAD) abriu 46 vagas.

Há ainda o combo “Aprovação”, formado pelos cursos de Redação para o Enem e Vestibulares, com 40 vagas; Matemática para o Enem, com 30 vagas; e, Ciências da Natureza para o Enem, com 30 vagas. As inscrições devem ser feitas no endereço: fic.vtp.ifsp.edu.br e o edital completo está publicado na internet, no endereço http://vtp.ifsp.edu.br/index.php/extensao/2379-processo-seletivo-cursos-de-extensao-2020-1.html,sendo que mais informações podem ser obtidas com a Coordenação de Extensão do Instituto pelo telefone (17) 3426 6998 ou na secretaria do CTMO – Centro de Treinamento de Mão de Obra “Altino Regiani”, no Centro do Empreendedor, fone 3406.1489.

Parceria

A parceria entre Prefeitura e o IFSP foi formalizada desde o início da gestão do Prefeito João Dado, com a criação de leis municipais que autorizam a celebração de acordos, oferecendo o benefício da gratuidade aos estudantes votuporanguenses, principalmente aos oriundos de famílias de baixa renda.Em cada início de semestre, o IFSP e a Prefeitura planejam os cursos de acordo com as áreas de maior demanda, em sintonia com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, gestora dos acordos.

 

Article source: http://www.acidadevotuporanga.com.br/cidade/2020/02/ifsp-abre-inscricoes-para-cursos-gratuitos-n59945

Novo relatório Cisco Annual Internet Report prevê que 5G será responsável por 10,6% das conexões móveis…

Velocidades do 5G serão 13 vezes superiores que a média da conexão móvel
66% da população global terá acesso à internet – uma comunidade mundial na internet formada por 5,3 bilhões de pessoas
Haverá quase 30 bilhões de dispositivos/conexões – 45% serão móveis
As velocidades médias de banda larga subirão de 46 Mbps para 110 Mbps
O número de hotspots Wi-Fi6 crescerá 13 vezes de 2020 a 2023, passando a representar 11% de todos os hotspots públicos de Wi-Fi
5G chegará a 6% de todas as conexões móveis do Brasil até 2023
Brasil chegará a 6,2 bilhões de downloads de aplicações móveis até 2023

De acordo com o novo Cisco Annual Internet Report, relatório anual da Cisco sobre a internet, o 5G representará mais de 10,6% das conexões móveis do mundo em 2023. A média da velocidade do 5G será de 575 megabits por segundo, ou 13 vezes mais rápida do que a média da conexão móvel. Com capacidades avançadas de desempenho, o 5G propiciará infraestruturas móveis mais dinâmicas para IA e novas aplicações da IoT, incluindo carros autônomos, cidades inteligentes, saúde conectada, vídeos imersivos e outras. Quanto ao Brasil, as conexões 5G representarão 6% do total de conexões móveis e a velocidade média do 5G será de 595,5 Mbps no país em 2023.

Nos últimos 50 anos, cada década trouxe uma nova tecnologia móvel com invoções revolucionárias. Os requisitos de largura de banda móvel evoluíram das chamadas de voz e mensagens de texto ao vídeo em definição ultra-alta (UHD, na sigla em inglês) e uma variedade de aplicativos de realidade aumentada/realidade virtual (RA/RV). Usuários pessoais e corporativos no mundo inteiro continuam gerando novas demandas e expectativas para a conexão em redes móveis. Essa tendência atual é claramente marcada pela adoção e utilização de aplicações móveis. Redes sociais, streaming e downloads de vídeo, aplicativos de produtividade, comércio eletrônico e jogos vão continuar impulsionando o crescimento das aplicações móveis, com cerca de 300 bilhões de downloads até 2023. No Brasil haverá 6,2 bilhões de downloads de aplicacões móveis até 2023, acima dos 4,9 bilhões em 2018.

“O que estamos vendo, a partir de nossa pesquisa, é um aumento contínuo de usuários de internet, dispositivos e conexões, com demandas cada vez maiores na rede por mais aplicações, mais segurança, mais capacidade e resiliência”, afirma Giuseppe Marrara, diretor de Políticas Públicas da Cisco do Brasil. “Esses dados e o conhecimento obtido com nosso estudo vão ajudar as empresas, governos e operadoras a preparar e proteger suas redes para o crescimento que está ocorrendo nas conexões e aplicações. Planejamento estratégico e parcerias serão essenciais para todas as organizações capitalizarem com suas inovações e seus investimentos em tecnologia.”

“O Brasil segue a mesma tendência de alto crescimento, e em alguns casos superando as projeções globais. O número de usuários de internet no Brasil representará 92% da população em 2023, superior aos 66% esperados globalmente. Associado à isso, a velocidade média da banda larga móvel crescerá a um ritmo superior ao global. São crescimentos que demandarão grande planejamento e investimentos no setor.”, destaca Hugo Baeta, diretor de vendas para Operadoras da Cisco do Brasil.

Destaques do Cisco Annual Internet Report (2018 – 2023)

O Cisco Annual Internet Report abrange redes móveis, Wi-Fi e banda larga fixa, com projeções quantitativas sobre crescimento de usuários, dispositivos e conexões, bem como desempenho das redes e tendências relevantes em um período de cinco anos (2018-2023).

Projeções globais de usuários de internet e internet móvel mundiais para 2023

Mais de 70% da população mundial (5,7 bilhões de pessoas) terá conectividade móvel (2G, 3G, 4G ou 5G).
66% da população mundial (5,3 bilhões de pessoas) usará internet.

Dados Brasil

Haverá 199,8 milhões de usuários totais da Internet (92% da população) até 2023, contra 164,5 milhões (79% da população) em 2018.
Serão 181,1 milhões de usuários móveis totais (84% da população) até 2023, contra 169,7 milhões (81% da população) em 2018.

Projeções globais de dispositivos e conexões para 2023

Haverá 3,6 dispositivos/conexões em rede por pessoa, e quase 10 dispositivos e conexões por residência.
Quase metade (47%) de todos os dispositivos e conexões suportarão vídeo.
As conexões máquina a máquina (M2M) com suporte para uma ampla gama de aplicações de IoT representarão cerca de 50% (14,7 bilhões) do total mundial de dispositivos e conexões.

Dados Brasil

3,5 dispositivos de rede per capita até 2023, acima dos 2,4 per capita em 2018.
76% de todos os dispositivos em rede estarão no segmento de consumo até 2023, em comparação com 81% em 2018.
24% de todos os dispositivos em rede estarão no segmento de negócios até 2023, contra 19% em 2018.
No Brasil, os módulos M2M serão responsáveis por 45% (338,9 milhões) de todos os dispositivos em rede até 2023, em comparação com 27% (138,2 milhões) em 2018.

Projeções globais de conexão móvel para 2023

45% de todos os dispositivos em rede terão conexão móvel (3G ou inferior, 4G, 5G ou Área Ampla de Baixa Potência [LPWA, na sigla em inglês]), e 55% estarão conectados por cabo ou Wi-Fi.
As conexões mundiais de 5G constituirão 10,6% de todas as conexões móveis.
Em 2023, as conexões mundiais de LPWA representarão 14,4% do total das conexões móveis, comparado com 2,5% em 2018.

Dados Brasil

44% de todos os dispositivos em rede terão conexão móvel até 2023 e 56% serão conectados ou conectados via Wi-Fi.
Haverão 20 milhões de conexões 5G totais até 2023.
No Brasil, as conexões 5G representarão 6% do total de conexões móveis até 2023.
As conexões 4G representarão 58,4% do total de conexões móveis até 2023, comparado a 53,8% em 2018.
As conexões 3G e inferiores representarão 29,6% do total de conexões móveis até 2023, comparado a 46,1% em 2018.
As conexões LPWA representarão 6% do total de conexões móveis até 2023, comparado a 0,1% em 2018.

Projeções globais de Wi-Fi para 2023

O número mundial de hotspots de Wi-Fi será quadruplicado entre 2018 e 2023. Existirão cerca de 628 milhões de hotspots públicos no mundo, contra 169 milhões em 2018.
O número mundial de hotspots de Wi-Fi6 crescerá 13 vezes entre 2020 e 2023, passando a representar 11% de todos os hotspots públicos de Wi-Fi.

Dados Brasil

No Brasil, o total hotspots Wi-Fi públicos (incluindo homespots) crescerá 5 vezes entre 2018 e 2023, de 4,6 milhões em 2018 para 23,8 milhões em 2023.
O total de Wi-Fi homespots crescerá 5 vezes entre 2018 e 2023, de 4,4 milhões em 2018 para 23,5 milhões em 2023.

Projeções mundiais de desempenho das redes (móvel, Wi-Fi e banda larga fixa) para 2023

As velocidades médias mundiais de conexão móvel mais que triplicarão, indo de 13 Mbps (2018) para 44 Mbps (2023).
As velocidades médias mundiais de conexão Wi-Fi mais que triplicarão, de 30 Mbps (2018) para 92 Mbps (2023).
As velocidades médias mundiais da banda larga fixa mais que duplicarão, de 46 Mbps (2018) para 110 Mbps (2023).

Dados Brasil

A velocidade média da conexão móvel aumentará 4,6 vezes de 2018 a 2023, de 8,9 Mbps em 2018 para 41,1 Mbps em 2023
As velocidades médias de Wi-Fi de dispositivos móveis crescerão 2,9 vezes de 2018 a 2023, de 10,6 Mbps em 2018 para 31 Mbps em 2023.
A velocidade média da banda larga fixa crescerá 4,1 vezes de 2018 a 2023, de 16,9 Mbps em 2018 para 69,4 Mbps.

Tendências globais de segurança cibernética entre 2018 e 2019

Globalmente, a frequência de ataques DDoS aumentou 39%.
Globalmente, o pico dos ataques cresceu 63% em tamanho.
O tamanho médio dos ataques DDoS é de 1 Gbps (23% dos ataques são superiores a 1 Gbps); houve um aumento de 776% nos ataques entre 100 Gbps e 400 Gbps.

Projeções do Cisco Annual Internet Report

O Cisco Annual Internet Report é uma projeção/análise nos níveis global, regional e por países que avalia a transformação digital e é desenvolvida pelo mesmo time de analistas que criou a Cisco Visual Networking Index (VNI). O relatório abrange redes de banda larga fixa, Wi-Fi e móveis (3G e inferiores, 4G e 5G). São apresentadas projeções quantitativas sobre o crescimento de usuários de internet, dispositivos e conexões, bem como desempenho das redes e novas demandas de aplicações. Análises e avaliações qualitativas também são realizadas em quatro áreas estratégicas: aplicações, segurança, transformação da infraestrutura e capacitação de empregados e equipes.

Metodologia do Cisco Annual Internet Report

O Cisco Annual Internet Report™ para o período de 2018 a 2023 utiliza projeções feitas por analistas independentes e dados de propriedade intelectual da Cisco. O relatório completo inclui uma descrição detalhada da metodologia. O Cisco® Annual Internet Report tem o objetivo de fornecer dados setoriais confiáveis sobre crescimento da internet para empresas, governos, reguladores de redes, pesquisadores acadêmicos, companhias de telecomunicações, especialistas em tecnologia e jornalistas e analistas em todo o mundo.

Recursos de apoio

Acesse o site do Cisco Annual Internet Report
Leia o White Paper do Cisco Annual Internet Report
Veja as Perguntas Frequentes do Cisco Annual Internet Report
Explore os destaques do relatório com o Cisco Annual Internet Report Highlights Tool para conferir dados e projeções globais, regionais e por países
Acesse Cisco Internet Readiness Tool para verificar a prontidão de regiões e países para a internet com base em desempenho de redes
Veja os infográficos globais e regionais
Vídeo com Roland Acra, SVP/CTO da Cisco, falando sobre a relevância estratégica do relatório

Feed RSS da Cisco: http://newsroom.cisco.com/rss-feeds

Sobre a Cisco

A Cisco (NASDAQ: CSCO) é a líder mundial em tecnologia que tem feito a internet funcionar desde 1984. Seus colaboradores, produtos e parceiros ajudam a sociedade a se conectar com segurança e a aproveitar hoje as oportunidades digitais do futuro.

Para notícias sobre o Brasil, acesse: https://news-blogs.cisco.com/americas/pt/ Siga a Cisco no Twitter em @CiscoDoBrasil.

Article source: https://www.segs.com.br/info-ti/217976-novo-relatorio-cisco-annual-internet-report-preve-que-5g-sera-responsavel-por-10-6-das-conexoes-moveis-no-mundo-em-2023

Cisco apoia a capacitação digital de reclusos em Portugal

A Cisco celebrou um memorando de entendimento com o Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos de Justiça (IGFEJ), a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) e o Centro Protocolar de Justiça (CPJ), com o objectivo de capacitar os reclusos na área digital.

Através do programa Cisco Networking Academy (NetAcad), um projeto completo de formação com cursos especializados de redes e cibersegurança, o IGFEJ criou uma Academia da Justiça onde se promoverá o desenvolvimento de actividades formativas, em regime e-learning, nas áreas das tecnologias de informação e comunicação.

As responsabilidades da Cisco neste projecto incluem o desenvolvimento e a manutenção dos conteúdos e avaliações para estes cursos certificados, bem como o sistema online para a sua disponibilização. A empresa vai, ainda, facultar materiais de aprendizagem complementares, ferramentas interactivas e outros recursos que possam ser necessários, apoiando técnica e funcionalmente o administrador e os instrutores designados para leccionar os programas.

Por sua parte, o IGFEJ será responsável pela promoção da utilização da academia e pela nomeação dos administradores e instrutores. A DGRSP e o CPJ vão definir, em conjunto, quais os estabelecimentos prisionais abrangidos por este projecto colaborativo, e o CPJ será ainda responsável pela elaboração e calendarização do plano de formação a implementar, pela garantia das condições físicas favoráveis à realização do projecto e pela avaliação da satisfação e impacto junto dos meios prisionais.

Este protocolo de colaboração representa mais um importante passo para a Cisco no seu percurso de contribuição para o desenvolvimento e a transformação digital de Portugal, alinhando-se inteiramente com os principais objetivos do MoU assinado em 2018, entre a empresa e o Governo, no sentido de acelerar a digitalização do país.

Miguel Almeida, director geral da Cisco Portugal, explica a importância do projecto: «A Cisco Portugal não poderia valorizar mais a oportunidade que este acordo representa, uma vez que se alinha inteiramente com os nossos objectivos de contribuir para acelerar os esforços de digitalização nacional. Queremos assumir um papel relevante no crescimento e competitividade do país e, por isso, estamos totalmente empenhados neste projecto tão importante, que visa a capacitação digital dos reclusos de várias instituições prisionais. Esperamos que esta colaboração possa prolongar-se no tempo e que os resultados sejam extremamente positivos para todas as partes envolvidas».

Business-ITBusiness-IT

Article source: https://business-it.pt/2020/02/21/cisco-apoia-a-capacitacao-digital-de-reclusos-em-portugal/

Cisco apoia capacitação digital de reclusos em Portugal

A Cisco celebrou recentemente um Memorando de Entendimento com o Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos de Justiça (IGFEJ), a Direcção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) e o Centro Protocolar de Justiça (CPJ), com o objectivo de concretizar, conjuntamente, um projecto social de capacitação de reclusos na área digital.

Através do programa Cisco Networking Academy (NetAcad), o IGFEJ criou uma Academia da Justiça onde se promoverá “o desenvolvimento de actividades formativas, em regime e-learning, nas áreas das tecnologias de informação e comunicação, em parceria com o programa NetAcad da Cisco”.

Neste sentido, a empresa proporcionará um programa de desenvolvimento de qualificações profissionais tecnológicas, incluindo cursos online, avaliações, estudos de caso e ferramentas interactivas.

As responsabilidades da Cisco neste projecto incluem o desenvolvimento, a manutenção dos conteúdos e avaliações para estes cursos certificados, bem como o sistema online para a sua disponibilização.

Vai facultar, também, materiais de aprendizagem complementares, ferramentas interactivas e outros recursos que possam ser necessários, apoiando técnica e funcionalmente o administrador e os instrutores designados para leccionar os programas.

Por sua parte, o IGFEJ será responsável pela promoção da utilização desta Academia da Justiça e nomeará os seus administradores e instrutores. A DGRSP e o CPJ vão definir, em conjunto, quais os estabelecimentos prisionais abrangidos por este projecto colaborativo.

O CPJ será ainda responsável pela elaboração e calendarização do plano de formação a implementar, pela garantia das condições físicas favoráveis à realização do projecto e pela avaliação da satisfação e impacto junto dos meios prisionais.

PCGuiaPCGuia

Article source: https://www.pcguia.pt/2020/02/cisco-capacitacao-digital-reclusos-portugal/

Cisco divulga projeções para conectividade até 2023 – INFOR CHANNEL – O ponto de encontro da comunidade de TI

A Cisco apresentou ontem (18) seu já tradicional estudo sobre o uso e tendências do mundo das comunicações, em especial, a Internet. Os resultados do Cisco Annual Internet Report 2018–2023, apresentados por Hugo Baeta Santos, diretor da Cisco Brasil, apontam a transformação digital em empresas do SMB do setor setor público e provedor de serviços de várias verticais. Ao todo, o estudo levantou dados e previsões em redes de banda larga fixa, Wi-Fi e móvel, encampando a 3G, 4G e 5G, sendo que as análises têm base em aplicativos, segurança, transformação de infraestrutura e capacitação de funcionários.

No quesito Internet, dispositivos e conexão usuários os estudo constata que em três anos, cerca de um terço da população global terá acesso a esta facilidade. Serão 5,3 bilhões de usuários da Internet (66% da população global) até 2023, acima dos 3,9 bilhões (51%), contabilizados em 2018.

Nesse mesmo período, no mundo haverá 3,6 dispositivos em rede por pessoa, superando a medição de 2018, que foi de 2,4. Ao todo, a população global colocará em uso, 29,3 bilhões de dispositivos em rede, superando, claro, os números de dois anos atrás: 18,4 bilhões.

Capacidade de mobilidade é o que dará impulso às demais tecnologias, a exemplo de Internet das Coisas. Portanto, fundamental para o avanço do setor em âmbito corporativo e pessoal. De acordo com o estudo da Cisco, até 2023, mais de 70% da população global terá acesso à conectividade móvel. Nesse sentido, as assinaturas móveis chegarão a 5,7 bilhões; o aumento será de seis bilhões desde 2018.

5G e IoT
No Brasil a 4G será predominante no período, porém, a esperada quinta geração, a 5G, permitirá conectividade para 10% – ou um pouco mais – dos dispositivos e conexões móveis globais até 2023. O estudo mostra que os dispositivos móveis globais crescerão de 8,8 bilhões em 2018 para 13,1 bilhões em três anos, período do relatório, sendo que 1,4 bilhões deles terão capacidade para 5G.
“A categoria de dispositivo móvel que mais cresce é o M2M, seguida pelos smartphones”, destaca Baeta Santos.

Na categoria Internet das Coisas – IoT, responderá pela metade dos dispositivos e conexões globais conectados, sendo a parcela de conexões Machine-to-Machine, ou M2M, aumentará de 33% em 2018 para 50% em 2023. A previsão da Cisco é que serão 14,7 bilhões de conexões M2M.

Já no quesito conexão sem fio, as velocidades de dispositivos móveis triplicarão, lembrando que o estudo faz a projeção para, até, 2023. No mundo, as velocidades médias de Wi-Fi crescerão de 30,3 Mbps em 2018 para 92 Mbps em 2023.

Article source: https://inforchannel.com.br/cisco-divulga-projecoes-para-conectividade-ate-2023/

Brasil terá 6% de conexões móveis com 5G em 2023, projeta Cisco

Tudo sobre

Cisco



Saiba tudo sobre Cisco


O Brasil deve chegar a 2023 com apenas 6% das conexões com 5G. Isso é o que estima o Annual Internet Report de 2020, da Cisco. O estudo analisa dados de internet no Brasil e no mundo, e busca tendências em um período de cinco anos. No caso, esse prazo varia entre 2018 e 2023.

Segundo o relatório, o Brasil será um país primordialmente do 4G, com 58% das conexões neste padrão. O dado é positivo em comparação à média global, com 46% do total, e da América Latina, com 50%.


Foto: Divulgação/Cisco

Contudo, devemos ficar atrás no 5G. Ao todo, na nossa região, somente 6% das conexões serão em 5G, contra 11% estimadas para o novo padrão em todo mundo e 7% na América Latina. “Apesar da prevalência do 4G, o 5G deve gerar um tráfego de informações entre 2,5 a 3 vezes maior”, aponta Hugo Baeta, diretor de vendas para operadoras da Cisco do Brasil.

“O número de usuários de internet no Brasil representará 92% da população em 2023, superior aos 66% esperados globalmente. Associada à isso, a velocidade média da banda larga móvel crescerá a um ritmo superior ao global. São crescimentos que demandarão grande planejamento e investimentos no setor.”, destaca Baeta.

Velocidade móvel

O estudo também apresentou avanços na disponibilidade e acesso de internet móvel. No Brasil, a expectativa é de que, em 2023, haja 181 milhões de pessoas conectadas por este tipo de rede, o que significa um aumento de 84% em cinco anos.


Foto: Divulgação/Cisco

Há variação na velocidade, claro: entre 2018 e 2023, o esperado é que a velocidade média das conexões móveis suba de 8,9 Mbps para 41,1 Mbps, mais que o quádruplo. Isso significa que o estaremos próximos à média de velocidade global, com estimativa de 43,9 Mbps em 2023. A média do 5G será de 595,5 Mbps no país em 2023, aponta o estudo.

Banda larga

Os dados ainda apontam que as velocidades de internet não devem chegar a 1 Gbps em 2023, nem no Brasil, nem no mundo. Em média, no nosso país, as conexões devem se manter em 69,4 Mbps, número quatro vezes maior que os 16,9 Mbps de 2018.


Foto: Divulgação/Cisco

Casa conectada

O estudo também estima que haverá aumento de conexões para além de usuários, abrangendo a internet das coisas (IoT). Em 5 anos, devemos ter 48% aparelhos em rede, somando 755,1 milhões de conexões no Brasil. Destes, a expectativa é de que 45% seja relacionada a ligações chamadas de máquina-a-máquina (M2M), relativas àquelas sem mediação humana, como casa conectada, carros autônomos e internet das coisas de maneira geral.

Outro destaque regional dever ser o avanço de TVs em 4K no Brasil, o que deve exigir uma demanda maior por capacidade de internet. A expectativa é de que, em 2023, 56% das telas no país sejam 4K, com conteúdos que exigem velocidades de 18 Mbps para rolar via streaming.

“É uma grande mudança. Quando pensamos há 10 anos, com o YouTube, o padrão de vídeos era em SD [baixa definição] com média de sete minutos. Agora, estamos modificando para 4K em consumo de duas horas. É uma demanda completamente diferente”, lembra Giuseppe Marrara, diretor de políticas públicas da Cisco.

Mundo

O documento projeta para 2023 que 66% da população mundial terá acesso à internet, somando 5,6 bilhões de pessoas. A velocidade média da banda-larga em todo mundo deve subir de 46 Mbps para 110 Mbps, entre 2018 e 2023.


Foto: Divulgação/Cisco

Já em termos móveis, velocidades médias mundiais mais que triplicarão, indo de 13 Mbps (2018) para 44 Mbps (2023).

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

Article source: https://canaltech.com.br/telecom/brasil-tera-6-de-conexoes-moveis-com-5g-em-2023-projeta-cisco-160652/

Facebook, Cisco e Intel também desistem e põem em risco megaevento de tecnologia

As gigantes de informática Cisco, Intel e Facebook anunciaram que não vão participar do maior evento global do setor, o Mobile World Congress, em Barcelona no final deste mês, o que colocou em xeque sua realização.

Atéa última segunda, já haviam tornado pública sua desistência seis companhias, entre elas a sueca Ericsson, uma das três fornecedoras da tecnologia 5G, que é um dos principais temas do evento. O motivo é o risco de contágio na epidemia de coronavírus, que já deixou mais de 1.000 mortos, principalmente na China.

Com o crescimento dos cancelamentos, a organizadora do MWC, a associação de operadores e fabricantes GSMA, deve discutir em reunião de conselho nesta sexta se adia, cancela ou mantém o evento. Até agora, a GSMA vinha apenas anunciando medidas de prevenção de contágio e de atendimento ao público. Não houve comunicado oficial até as 15h desta terça (horário de Brasília). Questionada, a entidade respondeu que “não comenta reuniões internas”.

Antes dos efeitos da epidemia, o evento esperava mais de 100 mil participantes e 2.800 expositores. A organizadora não informou o número de desistências já confirmadas, que incluem também as americanas Amazon e Nvidia (fabricante de chips), a sul-coreana LG, as japonesas Sony e NTT Docomo, além de Telnet, Vivo, CommScope, Mediatek, Amdocs, Umidigi e Gigaset.

As chinesas Huawei, Xiaomi e Oppo devem enviar apenas executivos europeus —se confirmado, o evento deve perder boa parte de seus inscritos chineses, que chegam a 6% dos participantes.

Dentre as medidas de segurança já anunciadas estão a proibição de entrada dos oriundos da província de Hubei, epicentro da epidemia, e de viajantes que tenham estado na China nos 14 dias anteriores ao início do congresso.

A organizadora também disse que reforçou as medidas de desinfecção e que controlaria a temperatura de todos os participantes. Uma preocupação adicional, porém, é que não há máscaras de proteção disponíveis no comércio de Barcelona, segundo o jornal espanhol El País.

O cancelamento total do congresso pode significar um prejuízo de cerca de 490 milhões de euros (R$ 2,7 bilhões, aproximadamente) que deveriam ser injetados na economia da cidade nos três dias de feira. Além disso, o evento abre cerca de 14 mil vagas de trabalho.

As companhias telefônicas Vodafone e Deutsche Telekom também estudam recuar da participação. Já a espanhola Telefónica, que é patrocinadora do congresso, e a francesa Orange, cujo presidente ocupa a chefia atual da GSMA, garantiram a presença.

Além do MWC, o medo da epidemia afetou outros eventos, como a conferência de inteligência artificial AAAI, em Nova York, a feira audiovisual Integrated Systems Europe, de Amsterdam, e um evento de aviação e defesa em Singapura. (Ana Estela de Sousa Pinto/FolhaPressSNG)

Article source: https://www.jb.com.br/ciencia_e_tec/2020/02/1022222-facebook--cisco-e-intel-tambem-desistem-e-poem-em-risco-megaevento-de-tecnologia.html

Cisco apresenta novas tecnologias de virtualização e segurança

Uma nova pesquisa da IDC  indica que 45% das organizações planejam investir em redes preparadas para a era digital nos próximos anos e a Cisco quer ajudar essas empresas na migração para redes que consigam suportar ataques virtuais e responder às exigências do crescimento exponencial dos trabalhadores móveis e a utilização de novos dispositivos IoT e aplicações Cloud.

A Digital Network Architecture é uma nova plataforma de hardware e serviços virtuais de redes, além de uma solução que permite aos clientes virtualizar o seu perímetro de rede e expandi-lo a outros centros, como clientes e parceiros. A empresa diz que é primeira fornecedora da indústria a oferecer segmentação definida através de software em toda a rede com total visibilidade das aplicações.

A Cisco DNA separa o hardware do software, o que permite uma maior velocidade e flexibilidade, diz a empresa que destaca as soluções Enterprise Network Functions Virtualization (NFV) Platform e a Cisco Secure Agile Exchange.

A primeira é uma nova abordagem que virtualiza as redes das sucursais com a ajuda da nova plataforma, a Cisco Enterprise Network Compute System (ENCS 5400 Series). A companhia refere que a ENCS permite aos clientes expandir seus serviços sucursais de routing, segurança, otimização WAN e outros.

 A nova solução Cisco Secure Agile Exchange virtualiza o perímetro da rede e estende-o até outros centros, permitindo que as organizações conectem de forma dinâmica com os clientes, funcionários e parceiros através de serviços de rede virtualizados e sob pedido.

A nível de segurança, apostas da Cisco DNA são as novas versões da Cisco Identity Services Engine (ISE), que proporciona visibilidade e controlo de usuários e dispositivos ligados à rede, e a Cisco TrustSec, que proporciona segmentação definida através de software para isolar os ataques e restringir a circulação de ameaças na rede.

A ISE 2.2 tem a capacidade de definir sets de políticas “DEFCON” que permitem aos clientes ampliar sua resposta em relação a ameaças que se reproduzem continuamente.

Já a TrustSec 6.1, que está agora disponível em todo o portfolio de networking empresarial da Cisco, se integra com a Cisco ACI e pode ser usada em routeadores e pontos de acesso wireless para entregar segmentação de ponta-a-ponta.

Além disso, assegura que as mudanças nas políticas de segurança se realizam 98% mais rápido em comparação com os métodos tradicionais, reduzindo os esforços operacionais em 80%, refere a Cisco, em comunicado.

A  empresa de San José anunciou, também, a Cisco DNA Readiness Advisor que são ferramentas de assessoria da rede para ajudar os clientes a compreender o estado de maturidade em que se encontram e serviços de consultoria avançada para ajudar as empresas a definir uma estratégia para o futuro de seu negócios.

Article source: http://www.bitmag.com.br/2017/02/cisco-apresenta-novas-tecnologias-de-virtualizacao-e-seguranca/

Cisco cai 6% com “profit warning”. Wall Street recua

As bolsas norte-americanas estão a ceder face aos ganhos registados nas três sessões anteriores, negociando em baixa perante novos receios em torno da epidemia do coronavírus.

As pouco mais de 2.000 novas infeções que tinham sido confirmadas na quarta-feira passaram a 14.840 novos casos esta quinta-feira, graças a um novo método de diagnóstico na China, travando o otimismo prévio de que o surto esteja próximo da contenção.

Depois de uma sessão em que os três principais índices de Wall Street atingiram recordes, as bolsas recuam. O SP 500 cai 0,52%, para 3.361,89 pontos. O industrial Dow Jones derrapa 0,60%, para 29.373,72 pontos. O tecnológico Nasdaq desvaloriza 0,74%, para 9.653,66 pontos.

Os receios do impacto do coronavírus na cadeia de fornecedores da Apple estão a pressionar as ações da tecnológica. A fabricante do iPhone desvaloriza 0,53%, para 325,48 dólares.

A somar ao pessimismo generalizado está um profit warning emitido pela Cisco. A empresa californiana revelou esperar uma queda de entre 1,5% a 3,5% nas receitas do terceiro trimestre fiscal, fruto de um contexto macroeconómico adverso para o negócio, o que atirou as ações da tecnológica para uma queda de 6,15%, para 46,87 dólares por título.

Também a Tesla está sob pressão vendedora. A fabricante automóvel anunciou um plano para aumento de capital em dois mil milhões de dólares. Depois de desvalorizar quase 6% nas negociações antes da abertura dos mercados, os títulos recuam 0,35%, para 765 dólares.

No mercado das matérias-primas, o destaque é o ouro. Este ativo continua a somar ganhos à medida que os investidores procuram refúgio fora do mercado acionista. O preço da onça valoriza perto de 0,5%, para quase 1.573 dólares a onça.

Article source: https://eco.sapo.pt/2020/02/13/cisco-cai-6-com-profit-warning-wall-street-cede-ganhos/

DJ Cisco: Vendas caem no segundo trimestre fiscal

Para poder adicionar esta notícia aos seus favoritos deverá efectuar login.

Caso não esteja registado no site do Negócios, efectue o seu registo gratuito.

Article source: https://www.jornaldenegocios.pt/dow-jones/ultimas/detalhe/dj-cisco-vendas-caem-no-segundo-trimestre-fiscal